Avenida do Café – Obra drenará água em pedreira da USP

0
62
ALEXANDRE DE AZEVEDO/CCS

A prefeitura de Ribeirão Preto, por meio da Secretaria Municipal de Obras Públicas, está construindo uma galeria de água pluvial para drenar toda a água que cai da pedreira da Universidade de São Paulo (USP), em dias de fortes chuvas, e inunda a avenida do Café, na Zona Oeste, no eixo Centro- USP. Nesta segunda-feira, 17 de fevereiro, o prefeito Duarte No­gueira Júnior (PSDB) visitou as obras realizadas na via.

Ao todo, serão implantadas 52 aduelas de dois metros por dois metros e meio, permitindo a va­zão da água, antes inexistente, e a direcionando para o córrego mais próximo. Aduelas são peças retan­gulares ou quadradas, abertas ou fechadas, utilizadas nos sistemas de drenagem – galerias de águas pluviais – em vias urbanas, ro­dovias, aeroportos, canalizações de córregos a céu aberto ou fe­chado, entre outros.

“Neste primeiro momento, estamos fazendo uma galeria de grande volume que terá capaci­dade para escoar toda a água que acumulava acima da pedreira e, por falta de rede de galeria, resul­tava em um ponto de alagamen­to na avenida do Café. Com esta primeira etapa concluída, inicia­remos a retirada do pavimento e compactação desde a portaria da USP até a ligação do terminal Doutora Evangelina de Carvalho Passig”, afirma Duarte Nogueira.

Corredor de ônibus
A implantação do corredor de ônibus nos 3,23 quilômetros da avenida do Café irá solucionar uma antiga demanda dos mora­dores e comerciantes próximos à USP. A obra, do Programa Ri­beirão Mobilidade, beneficiará 116.709 usuários do transporte coletivo urbano e contará, inclu­sive, com uma ciclovia em toda sua extensão. Por todo o local, será instalada semaforização inteligen­te, que abre com a proximidade do ônibus para garantir fluidez e menor tempo de percurso, além de sinalização com botoeiras para pedestres e onda verde.

O obra do corredor de ônibus na avenida do Café está sendo executada pela DGB Engenharia por R$ 14.865.789,59. Ao todo, se­rão 12 pontos de ônibus cobertos e com bancos, sendo seis em cada lado da via. Além disso, as obras irão contemplar a revitalização de praticamente todo o passeio para garantir acessibilidade aos pedes­tres, principalmente àqueles com dificuldades de mobilidade. Todas as esquinas da avenida contarão com rampas de acesso para cadei­rantes com piso tátil direcional e de alerta, indicando os pontos de espera e de travessia para deficien­tes visuais. Novas rampas vão me­dir 1,50 metro de extensão e abas com 1,80m de largura, ficando uniformes com a faixa de pedes­tres e mantendo o nível da rua.

Será feito um recapeamento reforçado nas faixas preferen­ciais de todos os corredores para garantir maior tempo de uso e menor risco de danos devido ao peso do veículo. De acordo com o prefeito, o objetivo dos corredores de ônibus, assim como todas as obras projetadas no Programa Ribeirão Mobili­dade, é oferecer maior qualidade de vida aos moradores da cida­de, principalmente àqueles que usam o transporte coletivo.

“A avenida do Café faz parte dos onze corredores de ônibus que serão implantados em Ribei­rão Preto, num total de 56 qui­lômetros, e das 27 obras viárias previstas no Programa Ribeirão Mobilidade. Já iniciamos a im­plantação do corredor Dom Pe­dro I e o corredor Saudade-São Paulo. Os demais estão em fase de finalização do projeto executi­vo para serem licitados”, conclui o chefe do Executivo.