Botafogo se reapresenta sem Diones e Jean Silva

0
49
FOTOS: ALFREDO RISK

Com a rescisão dos contratos do volante Diones e do atacante Jean Silva, o Botafogo se reapre­sentou nesta terça-feira, após recesso de cinco dias desde que a equipe foi eliminada pelo Oes­te do Troféu do Interior. Outro atleta que deverá deixar o clube, por empréstimo, é Pimentinha, com contrato praticamente cer­to com o Paysandu.

No entanto, o lateral-direito Lucas, que chegou por emprés­timo junto ao Palmeiras e que deverá permanecer até o final da temporada participou daquilo que pode ser chamado de início da “pré-temporada” da Série B do Campeonato Brasileiro. O atleta ainda não foi apresentado oficialmente pelo clube.

Outra novidade foi a pre­sença do zagueiro Didi, de 27 anos, e que atuava no futebol da Turquia. O atleta chegou para um período de testes na equipe. Pelo modesto Adanaspor, o atle­ta conquistou uma vaga na Série A do Campeonato Turco, em 2016, após 12 anos longe da elite do futebol daquele país. Foram 19 jogos sem perder, com 16 vi­tórias e três empates. O jogador passou por cirurgia no joelho esquerdo no ano passado.

A meta traçada pela direto­ria do Botafogo é a de contra­tar de seis a 10 jogadores para reforçar o elenco para a Série B. Havia a expectativa de que ao menos três nomes seriam anunciados até a data da rea­presentação, o que não se con­firmou. Nos bastidores, um ata­cante e um zagueiro já estariam apalavrados com o clube.

Erick Luís
Já recuperado de uma lesão muscular na coxa esquerda, no jogo contra o Santos, o atacante Erick Luís se diz recuperado e pronto para iniciar os prepa­rativos para a Série B. Nesta semana ele teve o seu vínculo com o Botafogo renovado até o final da temporada. O atleta esteve no futebol do Bahrein, na Manama, onde assinalou 14 tentos no ano passado. “É um número importante, ainda mais para um atacante que joga pela beirada,” disse.

O atacante evitou comentar possíveis mudanças no elenco do Pantera e destacou que tem como sonho sagrar-se cam­peão da Série B, competição que já disputou quatro vezes. “É um campeonato muito di­fícil, mas conquistar o acesso e também o título seria mara­vilhoso,” afirmou. “Mas quero fazer o meu trabalho e ficar quietinho, mantendo os pés no chão,” comentou.

Comentários