Brasil investiga quatro suspeitas de Covid-19

0
20
EDGAR SU

O número de casos inves­tigados do novo coronavírus (Covid-19) no Brasil caiu para quatro. Os dados foram atuali­zados pelo Ministério da Saúde na tarde desta sexta-feira, 14 de fevereiro. De quinta-feira (13) para ontem, três casos foram descartados e um foi incluído, todos em São Paulo. Das qua­tro pessoas ainda sob suspeita de ter o vírus, cujo epicentro ocorreu na cidade chinesa de Wuhan, capital da provín­cia chinesa de Hubei, há uma criança de 2 anos, um adulto de 56 anos e duas pessoas na faixa dos 20 anos.

Duas pessoas são do sexo masculino e duas são mu­lheres. Todos têm histórico de viagem à China, mas não a Wuhan. Até o momento, 43 casos já foram descarta­dos para o novo coronavírus. Dentre essas pessoas, foram confirmadas contaminações por influenza B, influenza A (H1N1), rhinovírus e adeno­vírus, entre outros. De acordo com o secretário-executivo do ministério, João Gabbardo, o número de casos suspeitos tem caído de forma mais ace­lerada graças à velocidade no diagnóstico laboratorial. Os resultados estão saindo mais rapidamente e, com isso, ex­cluindo os casos suspeitos.

“Enquanto não tivermos uma situação de circulação do vírus, esse será o padrão espe­rado, um pequeno número de suspeitos”. Gabbardo frisa tam­bém que o ministério continu­ará mobilizado no monitora­mento ao vírus pelo menos até o inverno, quando aumenta a possibilidade de doenças respi­ratórias. Ainda não existe caso confirmado do novo corona­vírus na América do Sul. Até o momento, 64.460 casos foram contabilizados no mundo (24 países), conforme dados da universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos. Somente na China são 63.866 casos.

O número de mortes che­gou a 1.384. Além disso, 7.171 pessoas foram curadas. A pro­víncia de Hubei, onde está loca­lizada Wuhan, adotou recente­mente uma outra metodologia para confirmar casos. Naquela região está sendo dispensada uma investigação detalhada para confirmação do novo co­ronavírus. Apenas os sintomas e o aparecimento de determi­nadas características no raio-X já são suficientes para caracteri­zar a contaminação.

Essa metodologia é reco­mendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em locais com mais de 100 casos confirmados após exame de­talhado. O governo da China informou nesta sexta-feira que 1.716 trabalhadores da área de saúde foram infecta­dos pelo coronavírus no país, com seis mortes registradas. Os dados são de terça-feira (11). Isso significa que a taxa de infecção entre trabalhado­res do setor está em 3,8%.