FERNANDO GONZAGA/CCS

Nesta sexta-feira, 11 de ju­nho, o prefeito Duarte Noguei­ra (PSDB) assinou contrato com a Caixa Econômica Fede­ral para viabilizar o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 – serão três parcelas de R$ 200 entre julho e setembro – por meio do programa “Acolhe Ribeirão”. Vinte mil pessoas serão beneficiadas. O custo to­tal será de R$ 12 milhões, R$ 4 milhões por mês.

“Desde o início da pan­demia, ainda em 2020, esta­mos monitorando as famílias cadastradas nos programas sociais. Sabemos que grande parte da população perdeu renda durante a pandemia. Com isso, buscamos soluções para socorrer essas pessoas, e além de outras ações, trouxe­mos também o auxílio finan­ceiro municipal para acrescen­tar”, diz o prefeito.

A secretária de Assistência Social, Renata Corrêa, lembra que a concretização do progra­ma foi possível graças à base de dados do cadastro emergencial solicitado pelo chefe do Exe­cutivo no início da pandemia. “Com esse cadastro consegui­mos avaliar as famílias que se encontram em vulnerabilidade social e que realmente preci­sam deste auxílio”, explica.

Também acompanharam a assinatura do contrato o presi­dente da Câmara, Alessandro Maraca (MDB), idealizador do auxílio, o secretário municipal da Casa Civil, Ricardo Aguiar, e o representante do banco. A prefeitura de Ribeirão Preto, por meio da Secretaria Muni­cipal de Assistência Social (Se­mas), abriu a fase de atualiza­ção dos dados.

Podem participar as pesso­as inscritas no Cadastro Único (CadÚnico, do governo fede­ral) ou na Central de Atendi­mento e Cadastro Emergen­cial (Cacem, municipal). Com base nesses dados a prefeitura vai definir quem está apto a receber o auxílio emergencial. Segundo a Companhia de De­senvol-vimento Econômico de Ribeirão Preto (Coderp), em apenas um dia foram realiza­dos 3.061 cadastros.

Quem não estava inscrito no CadÚnico até 28 de feverei­ro e no Cacem até 30 de abril não poderá concorrer ao bene­fício. A expectativa é que atu­alização de dados seja feita até 20 de junho, com a definição dos beneficiários concluída até o final do mês. A previsão é que o pagamento das parce­las seja feito em julho, agosto e setembro obedecendo a data de aniversário de quem tiver direito ao auxílio.

O “Acolhe Ribeirão” foi criado por meio da lei núme­ro 14.559/2021, sancionada pelo prefeito Duarte Nogueira (PSDB) em 21 de maio. A pro­posta havia sido aprovada na Câmara de Vereadores no dia 20 do mês passado. No total, o pagamento do auxílio vai custar R$ 12 milhões, sendo que R$ 6 milhões vieram do Legislativo – antecipou a devolução de re­cursos (duodécimo), que cos­tuma ocorrer no final do ano.

O presidente da Câmara, Alessandro Maraca, afirma que se o programa for esten­dido poderá analisar a ante­cipação da devolução de mais recursos. Para verificar se atende aos critérios, os interes­sados devem acessar o portal oficial do município (www.ri­beiraopreto.sp.gov.br) e clicar no banner Programa Acolhe ribeirão, disponível na parte superior do portal.