IVAN STORTI/SANTOS FC

O gol de pênalti diante do CSA foi bem especial para Carlos Sánchez. Além de abrir a contagem na vitória por 2 a 0 no último domingo (29), na Vila Belmiro, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2019, o tento fez o uruguaio alcançar o posto de terceiro maior artilheiro estrangeiro da história do Santos FC.

Agora, Sánchez tem 18 bolas nas redes, ultrapassan­do o colombiano Mauricio Molina, que fez 17 entre 2008 e 2009. O argentino Echevar­rieta (1942-1943) já marcou 20 vezes e ocupa a segunda colocação. O líder é o também colombiano Jonathan Cope­te, atualmente emprestado ao Pachuca (MEX) e com 26 gols pelo Alvinegro Praiano.

A nove tentos de assumir a artilharia gringa do Peixe de forma isolada, Sánchez comemorou a marca, mas admitiu não estar pensando na perseguição ao ex-compa­nheiro de equipe.

“É lindo saber que estou nesta lista. Seria uma honra muito grande alcançar esse posto e ultrapassar o Copete. Porém, não é apenas um ob­jetivo pessoal que estou bus­cando no Santos FC.
Penso primeiramente em conquis­tar coisas no coletivo, como vitórias e títulos. Claro que balançar as redes sempre nos dá mais confiança, mas não é um objetivo que ficarei desesperado para alcançar”, afirmou o camisa 7.

Comentários