O caso do desaparecimen­to de Madeleine McCann – menina britânica que sumiu em 2007, aos 3 anos, na Praia da Luz, em Portugal – está mais perto de ser resolvido, segundo o promotor alemão que conduz a investigação. Hans Christian Wolters afir­mou que novas evidências fo­ram encontrada e que apon­tam para o principal suspeito do caso, Christian Brueckner, de 44 anos.

“Reunimos novas evidên­cias que fortalecem o caso que estamos construindo contra nosso principal suspeito”, diz Wolters em entrevista ao jornal inglês The Sun. O pro­motor afirma que os novos indícios são circunstanciais, e não provas forenses, mas que reforçam a tese de que Brue­ckner é o responsável pelo desaparecimento e morte da menina. “Infelizmente, não posso dizer o que é, mas for­talece nosso trabalho.”

Na segunda-feira, 17 de maio, a publicação britânica voltou ao tema, afirmando que as novas evidências seriam re­gistros telefônicos que pode­riam mostrar novos detalhes da movimentação do suspeito na época do desaparecimento de Madeleine.

“Por muito tempo, os ofi­ciais alemães disseram que muitas peças-chave do que­bra-cabeça estavam faltan­do sobre os movimentos de Christian B no Algarve”, disse uma fonte ao jornal. “Esta nova informação pode ajudar a for­necer uma dessas peças.”

Madeleine McCann desa­pareceu de seu quarto em 3 de maio de 2007, alguns dias antes de seu aniversário de 4 anos, em um prédio de apar­tamentos na costa da Praia da Luz, no sul de Portugal, onde passava as férias com a família. Ela dormia no quarto com os irmãos gêmeos mais novos.

Os pais da menina, Gerry e Kate McCann, chegaram a ser detidos e depois soltos durante a investigação, que terminou com a demissão do inspetor­-chefe português encarregado do caso. Depois de encerrado em 2008, a polícia portuguesa reabriu o caso cinco anos mais tarde, sem sucesso.

As investigações voltaram a ter movimentações relevan­tes em 2020, quando a polícia alemã anunciou que estava in­vestigando um novo suspeito no desaparecimento da meni­na. As suspeitas recaíram sobre Brueckner, que passou tempo­radas na região portuguesa do Algarve entre 1995 e 2007 e estava “conectado com a área” da Praia da Luz.

Além disso, o alemão é condenado por crimes sexuais, incluindo abuso de menores. Em 2011, Brueckner já havia sido identificado como suspei­to pela Scotland Yard, mas sua relação com o caso foi afastada pois seu alvo principal eram crianças de sexo masculino. O advogado do suspeito, Frie­drich Fulscher, disse que seu cliente “nega qualquer envolvi­mento” no caso McCann.

Sobre o caso atualmente, o promotor ainda comentou com o The Sun: “não encontra­mos nenhuma evidência que sugira que ele não é culpado deste crime e encontramos muitas evidências que suge­rem que ele é culpado, mas estou proibido de entrar nesses detalhes”. Madeleine McCann teria completado 18 anos no último dia 12 de maio.