Casos de covid-19 superam sete mil

0
28
THAIER AL SUDANI/REUTERS

Ribeirão Preto registrou mais 194 casos confirmados de coronavírus em 24 horas – um a cada sete minutos e meio – e o número de pessoas infecta­das pelo Sars-CoV-2 saltou de 6.807 para 7.001 nesta quinta­-feira, 9 de julho, aumento de 2,85% em relação a quarta-fei­ra (8), segundo dados divulga­dos pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

O recorde diário de casos foi constatado na quarta-fei­ra, com 519 infecções. A ci­dade fechou parcerias para acelerar os testes de co­vid-19. A média na semana passada ficou em cerca de 200 por dia, caiu de domin­go (5) para segunda-feira, passou de 400 nos dias 7 e 8 e está novamente abaixo de 200. Atualmente, são 21.659 notificações e 9.285 que testa­ram negativo para covid-19, ou 42,9% do total.

A cidade também aguarda o resultado de 5.373 exames que estão represados nos la­boratórios (24,8%) – o núme­ro mais alto da pandemia é de terça-feira, de 5.508. Os 7.001 casos confirmados repre­sentam 32,3% e ocorreram em cinco meses – são 96 de março, 208 de abril, 1.238 de maio e 4.921 de junho, 3.683 a mais do que no mês ante­rior, alta de 274,5%.

Em apenas nove dias de ju­lho já são 538 pessoas diagnos­ticadas com Sars-CoV-2, qua­se 60 a cada 24 horas (59,7). Ribeirão Preto também tem 214 mortes. Desde 9 de junho, quando a cidade contabilizava 1.865 pessoas com coronaví­rus, mais 5.136 moradores fo­ram infectados pelo coronaví­rus, média de 167 por dia e alta de 275,4%. Na época, o muni­cípio contabilizava 48 mortes por covid-19.

Atualmente, são 166 a mais. A Secretaria Municipal da Saú­de acrescentou às notificações e aos casos descartados tam­bém as síndromes gripais. Os pacientes que procuram aten­dimento no sistema de saúde do município e estão sendo testados mesmo com sintomas leves de gripe.

Segundo o Sistema de Mo­nitoramento Inteligente (Simi­-SP) do governo de São Paulo, que acompanha 104 municí­pios com mais de 70 mil ha­bitantes, a taxa de isolamento social em Ribeirão Preto es­tava em 44% na quarta-feira (8), quando as medidas restri­tivas ficaram mais rígidas. O ideal, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), é de 70%, e o aceitável de 50%.

Protesto
Um grupo de aproxima­damente cerca de 50 comer­ciantes protestou em frente ao Palácio Rio Branco, nesta quinta-feira, para pedir a rea­bertura das lojas, mesmo com o avanço da covid-19 na cida­de. Eles também são contra as medidas mais rígidas da qua­rentena. O ato foi pacífico.

A Guarda Civil Metropoli­tana (GCM) e a Polícia Militar acompanharam a manifesta­ção. Em nota, a prefeitura disse que respeita as manifestações populares. A decisão de man­ter o comércio não essencial fechado, porém, é do governo do Estado, que rebaixou a ci­dade para a faixa vermelha do Plano São Paulo.

O governador João Doria (PSDB) deve anunciar se o município vai avançar de fase no início da tarde desta sexta­-feira, dia 10, mas autoridades sanitárias epolíticas estão pes­simistas com o quadro atual em Ribeirão Preto. Hoje, so­mente os serviços essenciais podem funcionar.

Região
Sessenta e cinco cidades da macrorregião de Ribeirão Preto tinham 15.289 pessoas infectadas com o novo corona­vírus, além de 476 mortes por covid-19 nesta quarta-feira (8). Já são 45 municípios com fale­cimentos em decorrência da doença. A taxa de letalidade é de 3,1%. Segundo o Simi-SP, o isolamento na quarta-feira foi de 39% em Barretos, 47% em Bebedouro, 45% em Franca, 43% em Jaboticabal e de 46% em Sertãozinho.