FOTO: EBC

Em março, a Cesta Abras­mercado, que abrange 35 produtos de largo consumo nos supermercados, regis­trou alta de 0,70% em rela­ção a fevereiro. O conjunto de itens atingiu o valor de R$ 637,82, informa a Asso­ciação Brasileira de Super­mercados (Abras).

Na Cesta Abrasmercado, ovo, arroz e carne dianteiro registraram as maiores altas em março em comparação ao mês anterior, subindo 6,64%, 4,30% e 3,25%, respectivamen­te. Feijão e farinha de mandio­ca também figuram na lista, os dois com avanço de 2,60%.

O vice-presidente insti­tucional e administrativo da Abras, Marcio Milan, atribui a alta do ovo à maior demanda entre consumidores brasilei­ros. “Vemos um crescimento no consumo per capita de ovos diante da busca por ali­mentos mais saudáveis”, diz.

“Além disso, o produto é usado como substituto para outras proteínas que subiram de preço”, avalia. Para o execu­tivo, o avanço na cotação dos grãos também influenciou no aumento da Cesta Abrasmer­cado. Por outro lado, houve queda de preços.

As baixas ocorreram nos preços da batata, tomate e queijo mussarela. Os três itens recuaram 11,75%, 11,36% e 3,23%, respectivamente, em março deste ano ante fevereiro. Já o queijo prato e óleo de soja, cederam 2,26% e 2,15% em comparação ao mês anterior.

Na divisão por regiões, o Norte reportou o maior avanço na Cesta Abrasmer­cado na comparação entre o terceiro e o segundo mês de 2021, subindo 2,20%. Com avanço de 1,82%, o Nordeste aparece na segunda posição, seguido pelo Sul (0,50%). Sudeste e Centro-Oeste apre­sentaram recuos, cedendo 1% e 0,13%, respectivamente.

Vendas
As vendas em supermerca­dos tiveram alta de 7,06% no primeiro trimestre do ano em comparação com o período de janeiro a março de 2020. Se­gundo balanço divulgado pela Abras, na comparação entre março de 2021 e o mesmo mês do ano passado, o cresci­mento ficou em 4,31%.