Comédia francesa e o preconceito de gênero

0
11

O tradicional time de fu­tebol masculino da cidade é suspenso e a única saída é formar um feminino para encerrar o campeonato. Este é o tema de “Donas da Bola” (“Une belle equipe”), de Mohamed Hamidi, que nesta quinta-feira, 25 de fevereiro, nas plataformas de vod no Now da Claro/NET e Vivo TV, após participar da edição 2020 do Festival Varilux de Cinema Francês. A distribui­ção no Brasil é da Bonfilm.

Assistido por mais de 300 mil espectadores na França, “Donas da Bola” usa a comédia para tratar do preconceito de gênero. Mohamed Hamidi conta que diferente de seus outros filmes quis fazer um em que as mulheres fossem heroí­nas. E como o futebol ainda hoje é dominado por ho­mens, resolveu “inverter os valores e poder nesta área”.

Ele acrescenta: “Estou sempre interessado nas opo­sições entre pessoas e a ideia de alteridade. O conflito que nasce dessas oposições é rico, porque dá aos personagens a oportunidade de se conhece­rem e de se entenderem me­lhor. Meus filmes estão pas­sando sempre em torno do tema da reconciliação”.

O elenco contra com Kad Merad, Alban Ivanov e Céli­ne Sallette. No longa-metra­gem, o tradicional time mas­culino da cidade é suspenso do campeonato por causa de uma briga em campo e não vai poder terminar o campe­onato. Para que o clube não desapareça, o único jeito é formar um novo time e a so­lução são as mulheres (filhas, irmãs, esposas) da pequena cidade. E dificuldades não vão faltar para que elas consi­gam participar dos jogos.

Sinopse
Após se envolver numa briga, a equipe inteira de fu­tebol da pequena cidade de Clourrières é suspensa até o fim da temporada. Com o ob­jetivo de salvar esse pequeno clube do norte da França, que corre o risco de desapare­cer, o técnico decide formar um time composto exclusi­vamente de mulheres para chegar ao fim do campeona­to. Essa situação acabará por transformar completamen­te o cotidiano das famílias, abalando as convenções há muito estabelecidas naquela pequena aldeia.