Comércio online: queixas têm alta de 208% em 2020

0
17

O segundo semestre de 2020 ainda não fechou e a Fundação Procon-SP já regis­trou 120.714 mil reclamações relacionadas a problemas so­bre compras online, 99,6% do total constatado no primeiro semestre inteiro, de 121.173. Demora ou não entrega do produto e problemas com co­brança são os questionamen­tos mais recorrentes.

Até o dia 17 de outubro deste ano já somam 241.887 demandas contra 78.419 de todo o ano de 2019, um au­mento de 208%. Para o diretor executivo do Procon-SP, Fer­nando Capez, “Independente do aumento da demanda ge­rada pela pandemia ou quais­quer outras ocasiões específi­cas, os dados demonstram que as empresas não se preparam para as vendas online”, diz.

“Fornecedores vendem o que não têm no estoque, atra­sam a entrega, não avisam sobre a cobrança do frete, são muitas reclamações e, por parte das empresas, respostas automáticas e protelatórias”. Diante desse panorama e, já antecipando os problemas que poderão se repetir na Black Friday, o Procon-SP convocará uma reunião com as principais empresas do co­mércio varejista eletrônico.

“Vamos solicitar que to­mem providências para aten­der aos direitos dos consu­midores. Esses fornecedores precisam investir mais no seu pós-venda, o consumi­dor não pode ser refém de empresas que só pensam em vender”, afirma Capez.

Para o consumidor que tiver problemas com com­pras pela internet ou outra questão de consumo, o @pro­consp disponibiliza canais de atendimentos à distância: no site (www.procon.sp.gov.br), aplicativo – disponível para Android e iOS – ou via redes sociais; para as denúncias, marque @proconsp, indican­do o endereço ou site do esta­belecimento.

Comentários