O Corinthians espera con­seguir na Justiça liminar seme­lhante às que foram concedidas ao São Paulo e ao Athletico-PR para se livrar de uma dívida de R$ 566 milhões em impostos cobrados pela União.

A Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) co­bra do clube alvinegro tributos de Imposto de Renda, Contri­buição Social sobre o Lucro Lí­quido (CCLS), PIS e Cofins. O extrato dessa dívida foi divul­gado inicialmente pelo jornal Folha de S.Paulo e confirmado pela reportagem do Estado.

A diretoria do Corin­thians se pronunciou por meio de nota oficial reconhe­cendo a existência desta dívi­da, mas a considerando im­procedente. O departamento jurídico entrará com pedido de isenção no CARF (Con­selho Administrativo de Re­cursos Fiscais), assim como fizeram os outros dois clubes.

“O Sport Club Corinthians Paulista informa considerar a agremiação isenta do pagamento dos seguintes tributos cobrados pela União: IRPJ, CSLL, PIS e Cofins. Entendimento similar ao do clube extinguiu cobrança mo­vida pela União contra o Club Athletico Paranaense, depois de decisão da Câmara Superior de Recursos Fiscais do CARF em 2018. E mais recentemente o CARF (Conselho Administra­tivo de Recursos Fiscais) julgou procedente a isenção dos mes­mos tributos do São Paulo Fute­bol Clube em cobrança de mes­ma natureza no início de 2019”, disse o clube, em comunicado.

O São Paulo chegou a perder em primeira instância, mas de­pois, em março deste ano, conse­guiu liminar suspendendo a su­posta dívida de R$ 100 milhões cobrada pela PGFN. Em julho do ano passado, o Athletico já havia obtido a mesma vitória. A Câmara Superior do CARF entendeu nos dois casos que os clubes são associações sem fins lucrativos e por isso ficam isen­tos desse tipo de imposto.

Comentários