A equipe de fiscalização do Departamento de Água e Esgo­tos de Ribeirão Preto (Daerp) flagrou, na manhã desta ter­ça-feira, 10 de setembro, uma ligação clandestina de água no Jardim Doutor Paulo Gomes Romeo, na Zona Oeste.

Os fiscais chegaram até o endereço após uma denúncia e constataram o “gato” de água.
No primeiro semestre deste ano, o número de autuações por ligação clandestina foi de 81, alta de 35% em relação ao mesmo período de 2018, quando foram registradas 60 autuações, 21 a mais em 2019. Depois de rece­berem uma denúncia, os fiscais foram até o imóvel e constata­ram que mesmo com o registro fechado, a pressão da água con­tinuava muito forte no cavalete.

Em seguida, os fiscais abri­ram o local e localizaram uma ligação direta para a casa an­tes de passar pelo hidrômetro. Diante da ligação clandestina, o Daerp retirou o encanamento e autuou o usuário. O responsável pelo imóvel terá de refazer a li­gação correta e será multado em R$ 3.979,50. Também cresceu a autuação por hidrômetros dani­ficados, que em 2018 foram 66 e neste ano foram 86 no primeiro semestre, um aumento de 30%, com 20 a mais.

“Estes resultados são fruto da intensificação da fiscaliza­ção que vem atuando, desde o início do ano, por região, o que aumentou a eficiência”, explica Marcus Berzoti, diretor comer­cial e financeiro do Daerp. Ele também destacou que é impor­tante que a população denun­cie estas práticas. “Não é justo a maioria pagar suas contas cor­retamente enquanto algumas pessoas tentam se beneficiar com fraudes”, completa.

Neste ano, os fiscais do Daerp já encontraram ligações clandestinas, fraudes e outros ti­pos de violação em imóveis em bairros nobres da cidade, como na Ribeirânia, na Zona Leste, e na City Ribeirão, na mesma região da cidade. Também já encontraram todo tipo de pro­blema em lava-jatos, chácaras, churrascarias, restaurantes e postos de combustíveis.

No primeiro semestre deste ano, de janeiro a junho, a fis­calização do Daerp emitiu 406 autuações por fraudes e ligações clandestinas. Deste total, o nú­mero de “gatos” foi de 81 Em 2018, o número de autos emi­tidos pelo setor de fiscalização teve um acréscimo de 21,46%, ou 228 a mais – foram realizadas 1.290 autuações, contra 1.062 em 2017, envolvendo todo tipo de fraude em ligações de água na cidade, como os “gatos” (clan­destina), fraude no hidrômetro e fornecimento irregular de água para terceiros.

No ano passado, foram fla­grados 209 “gatos” – média de 17 por mês. A autarquia tem, atualmente, 199.700 ligações de água. Os estabelecimen­tos foram autuados em 150 Unidades Fiscais do Estado de São Paulo (Ufesps, cada uma vale R$ 26,53 neste ano, o equivalente a R$ 3.979,50) e também terão de pagar a di­ferença de consumo dos últi­mos 60 meses.

A população pode colaborar denunciando através do telefone 115, sempre que desconfiar de alguma irregularidade. O Daerp também iniciou um trabalho de fiscalização nos residenciais com o objetivo de impedir que sejam feitas ligações clandesti­nas, principalmente durante a construção dos imóveis.

Comentários