Detento morre na Penitenciária de RP

0
8622
ARQUIVO DE FAMÍLIA

O preso Heriberto Amauri Fernandes, de 35 anos, conhe­cido como “Branco”, morreu no ultimo sábado, 16 de no­vembro, na Penitenciária de Ribeirão Preto. Segundo Talita de Lourdes Fernandes, irmã do rapaz, ele teria falecido vítima de apendicite supurada. Ou seja, o rompimento do apêndi­ce inflamado. Deixa uma filha de 13 anos.

De acordo com Roberta, uma prima do preso, ele esta­va na Penitenciária de Ribeirão Preto havia uma semana, vindo do Centro de Progressão Peni­tenciária (CPP) de Jurucê, em Jardinópolis, e estava à espera de ser transferido para a Penitenci­ária de Álvaro de Carvalho. Na última quarta-feira (13), Fer­nandes teria passado mal e foi le­vado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da avenida Treze de Maio, onde foi atendido e levado de volta para o presídio. Na manhã de sábado foi encon­trado morto na cela.

A família acredita que “a morte foi causada por negli­gência” e está promovendo uma campanha pelas redes sociais para chamar a atenção do Esta­do. O fato também foi notifica­do para a Comissão de Direitos Humanos da 12ª Subseção da Ordem dos Advogados do Bra­sil (OAB-RP). Procurada pela reportagem do Tribuna, a Secre­taria de Estado da Administra­ção Penitenciária (SAP) enviou nota à redação.

“No dia 13/11/2019, o preso Heriberto Amauri Fernandes, solicitou atendimento médico ao setor de enfermaria, alegan­do dores abdominais, após o atendimento no local o mesmo foi encaminhado imediatamen­te para a Unidade de Pronto Atendimento 13 de maio em Ribeirão Preto, sendo atendido, medicado e realizado exames la­boratoriais. Após liberação mé­dica ao retornar a esta Unidade Prisional, o mesmo permaneceu em observação, sem novas quei­xas”, diz o comunicado.

“No dia 16/11/2019, por volta das 04h45, durante ron­da de rotina no setor de en­fermaria, o sentenciado foi encontrado caído ao lado do vaso sanitário, tendo sido constatado o óbito. A unidade solicitou perícia médico legal, realizada no local do fato. Foi lavrado Boletim de Ocorrência Policial, bem como solicitada a necrópsia. Foram instaurados procedimento de Apuração Preliminar para devida eluci­dação dos fatos. A assistência da unidade também informou aos familiares, dando toda a assistência cabível”, finaliza.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB, Antônio Luís de Oliveira, infor­mou ao Tribuna que foi convo­cada uma reunião na própria Penitenciária de Ribeirão Pre­to, na tarde de ontem. “A dire­ção entende que foi prestado atendimento e que Heriberto se encontrava medicado na enfermaria do presídio, mas vamos requerer cópia do pron­tuário, assim como o laudo do SVO (Serviços de Verificação de Óbito), para acompanhar o caso”, disse Oliveira. Atual­mente a Penitenciária de Ri­beirão Preto, segundo dados do último dia 13 de novembro tem 1.849 internos. A capaci­dade do local é para 865.

Comentários