ALFREDO RISK

Segundo o Instituto Nacio­nal de Meteorologia (Inmet) e a Defesa Civil de São Paulo, que emitiram alerta laranja para Ribeirão Preto por cau­sa das baixas temperaturas previstas para esta semana, a frente fria que chegou à região nesta quarta-feira, 28 de julho, será a maior deste século.

Os 711.825 moradores de Ribeirão Preto já começaram a retirar guarda-chuva, agasa­lho, cachecol, luva, meia de lã, cobertor e edredom do armá­rio. A nova massa de ar polar que chegou ao Sul do Brasil na segunda-feira (26) já está na região, provocou chuva em algumas cidades e garoa em Ribeirão Preto.

Segundo a Somar Meteo­rologia, eram esperados cerca de cinco a nove milímetros para ontem, a primeira chuva significativa em 45 dias. Na ca­pital da Região Metropolitana, o predomínio foi de chuva fra­ca e constante, suficiente para fazer a temperatura despencar. Para esta quinta-feira (29) não há previsão de chuva forte.

De acordo com o Inmet, esta é a terceira massa de ori­gem polar a atuar no país este ano, devendo durar pelo me­nos até domingo, 1º de agosto. O instituto informa que, nesta quinta-feira, o ar frio deverá avançar por São Paulo, atin­gindo, até esta sexta-feira (30), o restante do Sudeste e as de­mais áreas do Centro-Oeste.

“Muito provavelmente, teremos outro episódio de frio intenso (similar ou mais forte do que o evento do final de junho)”, informa o Inmet. Pode nevar na Região Sul e gear no Sudeste brasileiro. Em Ribeirão Preto, onde a temperatura média é supe­rior a 30 graus centígrados, os termômetros marcaram entre 11ºC e 23ºC ontem, se­gundo o Climatempo.

Por volta das 17 horas, chegou a 14ºC – a tarde mais gelada do ano – e, à noite, às 22 horas, baixou para 12ºC. O frio deve se intensificar hoje, quando Ribeirão Preto teria mínima de 4°C na madruga­da e máxima, de 19°C duran­te o dia, com possibilidade de geada em cidades da região. A sensação térmica pode ser negativa, dependendo da lo­calidade. A temperatura mais baixa, porém, está prevista para ser alcançada na sexta­-feira, de 3°C.

A sensação térmica pode fi­car abaixo de zero grau. A má­xima, nesse dia, sobe um pouco e pode atingir 21°C, de acordo com os meteorologistas. Nesta quarta-feira, a umidade relativa do ar voltou a subir e ficou entre 34% e 83%. Sem chuva inten­sa ou significativa prevista para esta quinta-feira, segundo o Climatempo, a umidade deve cair novamente, oscilando en­tre 15% e 68%. Na sexta-feira, deve ficar entre 16% e 70%. O frio continua no sábado (31), quando a previsão é de míni­ma de sete graus e máxima, de 21ºC, com a umidade entre 27% e 57%.

No domingo as tempera­turas voltam a subir, oscilando entre mínima de 11ºC e máxi­ma de 27%, com umidade entre 29% e 49%. Não há previsão de chuva para o final de semana. A umidade relativa do ar ideal é de 60%, segundo a Organiza­ção Mundial de Saúde (OMS). Abaixo de 30% o município entra em estado de atenção e quando o índice é inferior a 20% a situação é de alerta.

A madrugada de 20 de ju­lho foi a mais fria em Ribeirão Preto nos últimos 18 anos. Não fazia tanto frio desde o inverno de 2003, quando os termômetros marcaram 1ºC com sensação térmica negati­va entre -1ºC e -2ºC, de acor­do com a estação do Instituto Nacional de Meteorologia instalada no Aeroporto Esta­dual Doutor Leite Lopes, na Zona Norte da cidade.

O dia mais gelado até então havia sido 1º de julho, quan­do a cidade voltou a registrar a temperatura mais baixa em dez anos. Às cinco horas da manhã, os termômetros mar­caram 3ºC com sensação tér­mica de 0,4 grau centígrado negativo, segundo o Inmet. Agora, o 1ºC do dia 20 de julho passou a ser a tempe­ratura mais baixa no municí­pio desde o inverno de 2003.

Região
Segundo a Somar Meteoro­logia, o dia mais gelado deve ser registrado em Cássia dos Co­queiros, na Região Metropolita­na de Ribeirão Preto. A máxima será de 14ºC, e a mínima, de 0ºC, com sensação térmica de -5º. Já em Cajuru e Guariba, também na RMRP, e Cândido Rodrigues os termômetros ficam entre 2ºC e 19ºC. Ontem, Sertãozinho e Barretos também tiveram a tar­de mais fria do ano, com 13ºC e 16ºC, respectivamente.

Brasil
O avanço de uma nova frente fria já faz a temperatura cair em boa parte do Brasil. No Sul, as marcações dos termô­metros caem ainda mais e o aumento da umidade, provo­cado por um ciclone no ocea­no, deve resultar em neve a nas serras gaúcha e catarinense. Na cidade de São Paulo, o dia per­maneceu chuvoso e a tempera­tura mínima chegou a 9°C.

Em Urupema, cidade cata­rinense considerada a mais fria do Brasil, os termômetros per­manecem negativos durante quase todo o dia, com mínima de -6°C, segundo o Climatem­po. O céu se mantém nublado hoje e a queda de neve pode ocorrer a qualquer momento. A temperatura cai para -7°C nesta quinta-feira e sobe para -5°C no sábado.