Diretoria toma posse no Sindicato dos Servidores

0
51
JF PIMENTA/ ARQUIVO

Na manhã desta terça-fei­ra, 24 de março, foi realizada a cerimônia de posse da Cha­pa União e Luta, eleita como a nova diretoria do Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto, Guatapará e Pradópolis (SSm/RP) para o mandato 2020/2024. Por causa da pandemia de coronavírus, com a adoção das medidas propostas pelas autoridades de saúde com foco na prevenção e para evitar a disseminação da covid-19, a entidade optou por uma transmissão de cargo simples, possibilidade prevista no artigo 152 do estatuto.

Para Laerte Carlos Augus­to, presidente eleito da nova gestão “o mandato anterior terminou com êxito, apresen­tando resultados positivos em muitas frentes. Fizemos ajus­tes, mudanças e correções. Mas o maior êxito foi criar condições para unirmos am­plas forças na chapa que assu­miu hoje a direção da entida­de. O momento atual e futuro proporcionou reflexões e dis­cussões construtivas em busca de novas soluções para juntos enfrentarmos o que temos pela frente. E não é pouca coisa o que temos pela frente.”

Para o presidente da en­tidade, “o novo mandato que iniciamos à frente da entidade se dá num momento emble­mático, onde a epidemia do coronavírus está impactan­do rápida e profundamente toda a sociedade brasileira e o mundo se paralisa diante das incertezas da pandemia. Te­mos como ação central manter de pé e em plena atividade a luta da entidade pelos direitos e anseios da nossa categoria. Respeitaremos as medidas de isolamento recomendadas para prevenção da doença, mas a atividade do Sindicato é essencial. Num momento como este, a categoria não ficará sem representação, pro­teção e defesa”.

Laerte explicou ainda que, embora os prazos processuais encontrem-se suspensos e vol­tarão a correr somente após o Judiciário cessar a suspensão, a defesa da categoria não se interrompeu nos tribunais ou fora deles. “Mesmo interrom­pendo o atendimento presen­cial, asseguramos a continui­dade do pleno funcionamento do nosso Departamento Ju­rídico pois uma ação judicial não é brinquedo, nem uma aventura. Processo na Justiça é coisa séria e assim estamos nos preparando, buscando novos julgados e fundamentações para quando os prazos volta­rem a correr”, garantiu o presi­dente da entidade.

Logo após a posse, o presi­dente do Sindicato conversou com os novos vice-presiden­tes e diretores da entidade e já determinou a produção de um comunicado oficial da entida­de a respeito da falta de EPIs (Equipamento de Proteção Individual) para a proteção dos servidores municipais em atividade. O Sindicato irá in­formar em instantes aos servi­dores e trabalhadores públicos o que fazer em caso de falta de EPIs e não descarta recorrer à Justiça em busca do direito de recusa ao trabalho em caso ris­co à vida.

A eleição aconteceu em 5 e 6 de fevereiro. Foram compu­tados 1.526 votos em 14 urnas fixas cinco itinerantes, sendo 18 nulos e 17 em branco – 2,26% do total. A chapa 1, Uni­dade e Luta, venceu com 1.179 votos (77,3%), mantendo La­erte Carlos Augusto na presi­dência. A chapa 2, Movimen­to por um Sindicato de Todos (SindTodos), encabeçada pelo servidor Wulf Glakowicz, re­cebeu 160 votos (10,48%). A chapa 3, SindLuta, cujo can­didato à presidência era Alex Ramos Neves, ficou com 152 votos (9,96%).