Jornal Tribuna Ribeirão

ELEIÇÕES 2022 – Cinco vereadores de RP devem disputar

Levantamento feito pelo Tri­buna junto aos 22 vereadores da Câmara de Ribeirão Preto reve­lou que pelos menos cinco deles devem ser candidatos nas elei­ções para deputados federal ou estadual, marcadas para 2 de ou­tubro deste ano. São eles: Paulo Modas (PSL), Lincoln Fernandes (PDT), Renato Zucoloto (PP), Duda Hidalgo (PT) e Marcos Papa (Cidadania).

Deles, Marcos Papa já tentou se eleger deputado federal. Em 2018 foi candidato pelo Rede Sustenta­bilidade, obteve 23.703 votos, mas não se elegeu.

Outros dois vereadores, Mau­rício Gasparini (PSDB) e Gláucia Berenice (DEM), apesar do desejo preferem analisar a viabilidade par­tidária de lançarem suas candida­turas. No caso de Gasparini ele já concorreu a deputado estadual em 2018, teve 39.242 votos, mas não foi o suficiente para ser eleito.

“Ainda estamos refletindo e analisando, junto aos companhei­ros do nosso partido, creio que de­vemos ter uma definição até o mês de maio. Caso tudo caminhe para uma candidatura, possivelmente, seria candidato a deputado esta­dual”, esclarece Gasparini.

No caso de Gláucia Berenice, que nos meios políticos era considerada uma concorrente certa para a As­sembleia Legislativa pelo Democra­tas, a fusão de seu partido com o PSL acabou criando um imbróglio ainda não resolvido. Isso porque, com a futura fusão e a criação do Partido União Brasil haverá uma disputa interna pelo comando da nova le­genda em nível estadual e regional.

No caso do Democratas, o par­tido sairá em desvantagem nesta “briga”, já que a legenda perdeu sua mais importante liderança estadual, o vice-governador Rodrigo Garcia que migrou para o PSDB, onde de­verá disputar o cargo de governador do Estado de São Paulo.

Já os outros 15 vereadores de Ribeirão Preto, afirmaram que não pretendem ser candidatos. Entretanto Igor Oliveira (MDB), Ramon Faustino (Psol) do Cole­tivo Todas as Vozes e Judeti Zilli (PT) do Coletivo Popular argu­mentaram que se seus partidos de­sejarem e optarem por seus nomes até podem se candidatar.

No caso de Igor Oliveira isso dificilmente acontecerá nestas elei­ções, já que seu pai, o deputado Léo Oliveira (MDB) tentará a reeleição para a Assembleia Legislativa. Já para deputado federal o candida­to do partido na região deverá ser Baleia Rossi, presidente nacional da legenda e que depois de três mandatos como deputado estadu­al, há dois ocupa uma cadeira no Congresso Nacional.

 

ALLAN S. RIBEIRO
“Estou à disposição da nossa Ribeirão Preto e da Região Metropolitana (RMRP) para os desafios que estão postos. O momento exige equilíbrio e ação, energia e serenidade. A RMRP precisa sair do papel e atender a população, abrindo as portas dos palácios e imple­mentando soluções para os problemas e as necessidades. A população não suporta mais conchavos que não trazem melhoria de vida. O parlamentar deve ter a independência necessária para construir coalizões que apoiem ações que realmente beneficiem a população ou as combatam quando prejudicam. Nosso mandato provou que tudo isso é possível, desde que os compromissos do mandatário obedeçam à supremacia do interesse público, que são os inte­resses da população e não os de grupos preocupados em engordar seus próprios negócios”.
Marcos Papa (Cidadania)

ALLAN S. RIBEIRO
“Tenho recebido convites de várias lideranças políticas do PSL e já penso que será uma grande honra representar a nossa cidade e a macrorregião na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Quero levar comigo a ban­deira principal do meu mandato, a defesa e a luta do direito das pessoas com deficiências em nos­sa macrorregião estendendo para todo o nosso Estado bandeirante”.
Paulo Modas (PSL)

ALLAN S. RIBEIRO
“O PT de Ribeirão Preto decidiu que lançará uma candidatura a deputado estadual e uma a federal. Os nomes mais cotados para a disputa são o meu para deputada estadual e o do pro­motor Antônio Alberto Machado a deputado federal. O presidente Lula deu uma missão muito importante para a juventude: ir para a luta, ocupar os espaços de poder e defender o povo, e, sobretudo, quem luta pelo povo e pela democracia”.
Duda Hidalgo (PT)

DIVULGAÇÃO
“Pretendo colocar meu nome à disposição do partido para uma eventual disputa ao cargo de depu­tado. Fui eleito e reeleito vereador, o que me credencia a tentar alçar voos maiores. Temos assistido uma grande polarização nas eleições desse ano, o que tem de certa forma, deixado grandes discussões de lado e quem perde com isso é o cidadão. O Progressistas é um dos maiores partidos do Brasil e desde que o nosso líder local e deputado Marcelino Romano Machado, dei­xou os cargos eletivos, não tivemos mais uma liderança que assumisse e representasse a região da Alta Mogiana na Assembleia e na Câma­ra dos Deputados. Daí meu desejo de colocar meu nome na disputa e lutar pela construção de uma nação melhor”.
Renato Zucoloto (PP)

ALLAN S. RIBEIRO
“Como presidente do partido em Ribeirão Preto meu nome está à disposição. Neste mês assumo também um cargo como membro da Executiva Nacional do PDT. Indiscutivelmente, a nossa região precisa de mais representantes, como já tivemos um dia. Temos tamanho para isso. Nas últimas eleições muitos candidatos de fora vieram buscar voto aqui e depois sumiram. Isso é preocupante, temos que ter humildade e reco­nhecer que precisamos melhorar a qualidade dos nossos representan­tes, oxigenar um pouco”.
Lincoln Fernandes (PDT)

Quais são os prazos para os partidos, candidatos e eleitores
As eleições estão marcadas para o dia 2 de outubro, quando os brasilei­ros vão às urnas para eleger presi­dente da República, governadores, senadores e deputados federais, es­taduais e distritais. Eventual segundo turno será realizado no dia 30 de outubro. Alguns prazos já começa­ram a valer desde o dia 1º de janeiro, como a obrigatoriedade de registro de pesquisas eleitorais, a limitação de despesas com publicidade dos órgãos públicos federais, estaduais ou municipais e a proibição da dis­tribuição gratuita de bens, valores ou benefícios a cidadãs e cidadãos por parte da Administração Pública.

Janela partidária
Entre 3 de março e 1º de abril, acon­tece a janela partidária, período em que deputadas e deputados federais, estaduais e distritais poderão trocar de partido para concorrer às eleições sem perder o mandato.

Formação de coligações
O órgão de direção nacional do partido político ou federação devem publicar, no Diário Oficial da União (DOU), as normas para a formação de coligações nas eleições majori­tárias até 5 de abril, 180 dias antes das eleições. Entre este dia e a data da posse das eleitas e dos eleitos, é vedado aos agentes públicos realizar reajuste de servidoras e servidores públicos que exceda a recomposição da perda de poder aquisitivo ao longo do ano da eleição.

Transferência do título
No dia 4 de maio, 151 dias antes do pleito, vence o prazo para que elei­toras e eleitores realizem operações de transferência do local de votação e revisão de qualquer informação constante do Cadastro Eleitoral. Quem tem mais de 18 anos e ainda não possui título eleitoral também tem até este dia para solicitar a emissão do documento pelo sistema TítuloNet.
Pessoas com deficiência ou mobili­dade reduzida que queiram votar em outra seção ou local de votação da sua circunscrição têm entre os dias 18 de julho e 18 de agosto de 2022 para informar a Justiça Eleitoral.

Convenções partidárias e regis­tros de candidatura
Entre 20 de julho e 5 de agosto é permitida a realização de convenções partidárias para deliberar sobre coli­gações e escolher candidatas e can­didatos à presidência da República e aos governos de Estado, bem como aos cargos de deputado federal, esta­dual e distrital. Legendas, federações e coligações têm até 15 de agosto para solicitar o registro de candidatu­ra dos escolhidos. Todos os pedidos de registro aos cargos de presidente e vice-presidente devem ser julgados pelo TSE até 12 de setembro.

Propaganda eleitoral
Dia 12 de agosto é a data final para que o TSE publique tabela com a representatividade do Congresso Na­cional, decorrente de eventuais novas totalizações do resultado das últimas eleições gerais efetivadas até 20 de julho de 2022, para fins de divisão do tempo de propaganda eleitoral gratuito no rádio, na televisão e também dos debates entre candi­datas e candidatos. A realização de comícios, distribuição de material gráfico, caminhadas ou propagandas na internet passa a ser permitida a partir do dia 16 de agosto.

Data da eleição
O primeiro turno do pleito aconte­cerá no primeiro domingo de outu­bro, dia 2. Eventual segundo turno será realizado no dia 30 do mesmo mês. A votação começará às 8h e terminará às 17h, quando serão impressos os boletins de urna. Em 2022, a hora de início da votação será uniformizada pelo horário de Brasília em todos os estados e no Distrito Federal.

Diplomação e posse
Eleitas e eleitos serão diploma­dos pela Justiça Eleitoral até 19 de dezembro. Para os cargos de presidente e vice-presidente da República, bem como de governa­dor, a posse ocorre em 1º de janeiro de 2023. Parlamentares assumem os mandatos em 1º de fevereiro do próximo ano.

Mais notícias

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
AllEscort