Uma das obras infanto-ju­venil mais marcantes da lite­ratura brasileira, ‘O Sítio do Pica Pau Amarelo’, de Mon­teiro Lobato, será atração no Teatro Municipal de Ribeirão Preto, de 3 a 5 de outubro. O espetáculo tem como objeti­vo mostrar para as crianças dos dias de hoje, algumas brincadeiras antigas.

Monteiro Lobato foi um dos escritores brasileiros mais influentes, e ganhou destaque no panorama da li­teratura infantil, com o ‘Sítio do Pica Pau Amarelo’. A obra foi escrita entre os anos de 1920 e 1947 e contada há vá­rias gerações. Ela ficou eter­nizada por seus personagens carismáticos e identificáveis com nossa realidade.

Hoje, os aparelhos eletrô­nicos, como celulares, tablets e notebooks fazem parte inte­gral do dia a dia da criança, e as brincadeiras de cunho mais físico e social têm per­dido espaço. Poucas são as crianças que brincam como as gerações anteriores.

Nesse sentido, o musical ‘O Sítio do Pica Pau Amarelo’, com histórias adaptadas, pretende levar para o público infantil, personagens com a essência pu­ramente brasileira, provocando um sentimento de resgate de um passado recente, com brincadei­ras de roda, soltar pipa, tomar banho de rio, brincar com peão, entre tantas outras.

A adaptação da história brinca com a fantasia e a re­alidade levando as crianças uma visão de como cada pes­soa mesmo com suas diferen­ças e particularidades pode ser muito importante, através da sagacidade de Emília, o espírito pesquisador do Vis­conde de Sabugosa e a delica­deza de Narizinho.

A peça
Emília apresenta ao públi­co, o lugar onde mora: o Sítio do Pica Pau Amarelo, e expli­ca como foi que ela começou a falar, graças a uma pílula fa­lante dada pelo Dr. Caramu­jo. O danado do Saci, que es­tava na espreita, ouve tudo e decide contar para a malvada Cuca que a boneca fala e can­ta muito melhor do que ela. Enfurecida, Cuca atrai Emília e rouba a sua voz.

O público vai se divertir e se encantar com os persona­gens Emília, Narizinho, Dona Benta, Tia Nastácia, Rabicó, Visconde de Sabugosa, Saci, Dr Caramujo e, claro, a Cuca, nessa aventura. Muito mais de apenas entreter, o espetáculo busca va­lorizar a cultura brasileira, seus autores e suas obras; resgatar a leitura e o contato com o livro físico. A peça teatral nasce no resgate lúdico, no folclore, na imaginação e na importância que ela nos oferece dentro do contexto social e contribui para a construção da cidadania e da nossa identidade cultural.

Texto e direção: Antônio Veiga; Com: Vivi Reis, Nenê Alcantara, Rayana Rodri­gues, Valter Navarro, Gesmar Nunes, Ricardo Beatto e Fa­brício Pappa. Arranjos: Cris­tiano Matilles; Cenário: Luiz Grafite; Figurino: Fátima Montenegro; Fotografias: Ri­cardo Casella; +adereços: eli­ton pitta; Coreografia: Valter Navarro; Visagismo: Brunno Brunelli

Comentários