Facebook anunciou que está implementando novas regras para a transmissão de vídeos ao vivo a partir desta quarta-feira (15). As mudanças acontecem dois meses depois que um homem invadiu uma mesquita em Christchurch,na Nova Zelândia, para um tiroteio em massa e transmitiu tudo na rede social.

 

Com as novas regras, que ainda não foram detalhadas e listadas na íntegra, as pessoas que infringirem as políticas mais sérias do Facebook, como apologia ao terrorismo, serão banidas por períodos mais longos e não poderão comprar anúncios. Segundo a rede social, se estas normas já tivessem sido empregadas, o atirador não teria conseguido transmitir o massacre em sua conta.

A novidade ainda coincide com a pressão da França e da Nova Zelândia, que sugere às empresas de tecnologia que trabalhem juntas aos países para evitar a disseminação de conteúdo extremista na internet, medida chamada de Christchurch Call.

Mas é preciso ações muito mais potentes das grandes empresas de tecnologia para evitar o problema. O vídeo de ataque à mesquita, por exemplo, gerou mais de 1,5 milhão de cópias, se espalhando também ao YouTube e Twitter, além de aplicativos de mensagens. Até hoje, dois meses depois, o conteúdo ainda pode ser encontrado em grandes sites.

 

Na última terça-feira (14), o Facebook também disse estar investindo US$ 7,5 milhões em parcerias de pesquisa com universidades para identificar a mídia manipulada com mais eficácia.

Fonte: CNN

Comentários