O fazendeiro Olavo Teobal­do Ferreira, de 71 anos, e seu agrimensor, Francisco José De­nipote, de 62, foram mortos a ti­ros na entrada de uma fazenda, na segunda-feira, 15 de abril, na zona rural de Alto Araguaia, no sul do Mato Grosso. A polícia acredita que eles foram atraídos para uma emboscada por grilei­ros, interessados em se apossar das terras de Ferreira. Morador de Nuporanga, o fazendeiro havia recuperado terras que pertenceram a seu pai e que es­tavam na posse de ocupantes no município mato-grossense.

Os corpos foram encon­trados no carro em que os dois viajavam, na entrada de uma fazenda, na BR-364. Ferreira e o agrimensor receberam vários ti­ros. De acordo com familiares, o fazendeiro conseguiu recuperar a posse da fazenda, que perten­ceu ao seu pai, no ano passado. Ele contratou o agrimensor, que morava em Orlândia para fazer o levantamento das áreas. Horas antes do crime, ele receberam a ligação telefônica de um suposto corretor que representaria um grupo de chineses, interessados em comprar a propriedade para plantar eucalipto.

Os dois passaram no sin­dicato rural da cidade para ob­ter informações sobre o preço das terras e se dirigiam ao local indicado, quando sofreram a emboscada. Ainda segundo os familiares, no ano passado, o agrimensor já havia sido alvo de uma abordagem por homens armados, quando estava a ca­minho da fazenda de Francisco. Ele estava na companhia de um oficial de Justiça, que faria a in­timação de ocupantes para que deixassem a propriedade.

Os dois homens acabaram liberados sem nada sofrer. A Polícia Civil de Alto Araguaia informou que o núcleo de in­vestigação está no encalço de possíveis suspeitos. Algumas testemunhas e pessoas que tive­ram contato com as vítimas já foram ouvidas. Os corpos dos dois homens passaram por ne­crópsia no Instituto Médico Le­gal e foram transportados, nesta terça-feira, 16, para as cidades do interior paulista.

Comentários