O duro revés sofrido por 2 a 0 para o Atlético-GO que obriga o Corinthians a ganhar por três gols de diferença no jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil não desanima o volante Gabriel. O jogador confia na classificação da equipe alvinegra e deu a receita para que isso aconteça. Para ele, é necessário ter equilíbrio, pressionar e atacar o adversário com inteligência.

“Foi apenas metade da decisão. Temos totais condições de fazer um jogo melhor, mais consistente, para reverter a situação. É respeitar o Atlético, que fez um grande primeiro jogo. Mas que o segundo jogo seja nosso. Temos que pressionar no momento certo, impor nosso ritmo, não tomar gols para ficar mais perto da classificação. A vitória nos dá confiança para a decisão. Vamos com cabeça tranquila mesmo com o 2 a 0 contra”, comentou Gabriel, em entrevista coletiva nesta terça-feira.

“Acredito que temos que ter equilíbrio. Não só se defender, mas também atacar, criar chances, dominar a partida. Vamos ter que todos defender, atacar com inteligência. A estratégia ainda não está totalmente definida. Temos que sair de São Paulo com a mente focada com a estratégia”, acrescentou, sobre a estratégia corintiana para dar o troco no rival de Goiás.

O Corinthians faz o jogo da volta contra o Atlético-GO nesta quarta-feira, às 21h30, em Goiânia. Para avançar às oitavas, é necessário uma vitória por três gols de saldo. Se ela vier por dois, a vaga será decidida nos pênaltis. O time goiano tem a vantagem de poder perder por um gol.

Para Gabriel, outro elemento que o faz acreditar na reversão da desvantagem e, consequentemente, na classificação, é a última vitória por 1 a 0 sobre o América-MG, a primeira do Corinthians sob o comando de Sylvinho. O jogador entende que o triunfo dá confiança para que a equipe embale na temporada.

“A vitória nos dá confiança, um ânimo maior no trabalho. Confiança não só dos jogadores, mas também da comissão, no que estamos treinando e praticando no dia a dia”, resumiu o volante. “Estou feliz pela retomada. Lógico que o futebol é resultado. Quando vem, gera coisas boas. Nada melhor do que antes de um jogo eliminatório, com possibilidade de reverter. Gera confiança, uma leveza um pouco maior no grupo para fazer um grande jogo e sair classificado de Goiânia”, completou.