FL PITON/CCS

A Secretaria Municipal da Saúde inicia nesta segun­da-feira, 12 de abril, a cam­panha de vacinação contra gripe, que em 2021 visa atin­gir uma cobertura mínima de 90% no público até 7 de maio, segundo nota da pas­ta – as campanhas nacional e estadual vão até julho. No ano passado, essa população era formada por 235.952 pes­soas dos grupos prioritários.

Com base neste número, o objetivo é imunizar cerca de 212.350 ribeirão-pretanos. A pasta não divulgou o número exato da campanha deste ano, que será realizada em 36 Uni­dades Básicas de Saúde (UBS’s) distribuídas por Ribeirão Pre­to. A secretaria ressalta que, durante a vacinação, os muní­cipes devem estar atentos ao que a Organização Mundial da Saúde preconiza.

Permanecer ao menos a um metro e meio de distância, evitar contato próximo e aper­to de mãos, além de higienizar as mãos com água e sabão ou álcool em gel acima de 70%. Em todo o estado de São Paulo a meta é vacinar 18,5 milhões de pessoas.

Neste ano, segundo o Bole­tim Epidemiológico divulgado em 1º de abril, nenhum caso de influenza A não subtipado, influenza B, H1N1 e H3N2 ha­via sido diagnosticado em Ri­beirão Preto até 31 de março. Em 2020 foram doze casos e quatro óbitos, contra 62 ocor­rências e 13 mortes em 2019.

No período anterior (2018), Ribeirão Preto registrou 104 infecções e 23 vítimas fatais. Em todo o Brasil, a meta do Ministério da Saúde é imuni­zar, até 9 de julho, 79,7 milhões de pessoas que fazem parte dos grupos prioritários durante a Campanha Nacional de Vaci­nação contra a Influenza.

Segundo a Saúde estadual, é fundamental que quem foi ou for vacinado contra o co­ronavírus priorize este imuni­zante e respeite o intervalo mí­nimo de 14 dias para depois se vacinar contra o vírus influen­za, causador da gripe (confira orientações complementares).

O cronograma da campa­nha estadual é composto por três etapas que se estenderão até 9 de julho. A primeira co­meça na próxima semana e é destinada aos trabalhadores da saúde, indígenas, gestantes, puérperas (mulheres com até 45 dias após o parto) e crianças com idade a partir de 6 meses até cinco anos completos. Este grupo totaliza 5,5 milhões de pessoas que poderão ser vaci­nadas até o dia 10 de maio.

A partir do dia 11 de maio será a vez dos idosos (pessoas com 60 anos ou mais) e dos professores das redes pública e privada, que somam mais 7,8 milhões de pessoas. Já a terceira etapa começa em 9 de junho, alcançando 5,1 milhões pessoas com comorbidades e com deficiência (física, auditi­va, visual, intelectual e mental ou múltipla).

Também estão na lista ca­minhoneiros, trabalhadores portuários e de transporte coletivo, profissionais das forças armadas, de segurança e salvamento e funcionários do sistema prisional, popu­lação privada de liberdade e jovens e adolescentes sob medidas socioeducativas.