Hamilton vê manobras irregulares e critica comissários por não punirem Leclerc

0
23

Mesmo admitindo a superioridade da Ferrari neste domingo em Monza, Lewis Hamilton, da Mercedes, fez críticas aos comissários do GP da Itália de Fórmula 1 por não terem imposto uma punição ao vencedor da prova, Charles Leclerc, depois de o piloto da equipe italiana ter dificultado, de acordo com o inglês, as suas tentativas de ultrapassagem de forma irregular.

Para o pentacampeão mundial, os comissários falharam ao não imporem uma sanção ao adversário devido aos supostos excessos na hora de fechar a passagem quando os dois lutavam por posição. “Tudo o que peço é que haja consistência. Hoje vimos consequências diferentes com as mesmas regras, talvez os comissários tenham acordado do lado errado da cama. Tudo o que peço é consistência”, desabafou o britânico.

Hamilton, entretanto, reconheceu: “Eles estiveram muito melhores do que nós”. E depois acrescentou: “Foram muito mais rápidos em linha reta, então, mesmo chegando perto, não tinha como passá-los. Não foi nosso dia”. A situação para a equipe alemã ficou ainda pior devido à estratégia mal sucedida de optar por pneus médios, o que o obrigou o time a realizar uma parada extra para troca dos compostos.

Quem se aproveitou da briga pela ponta entre o inglês e o monegasco foi Valtteri Bottas, que assumiu o segundo lugar após erro de Hamilton. Ao fim da prova, porém, não escondeu sua lamentação por não ter conseguido a competitividade necessária para se aproximar da Ferrari de Leclerc.

“Estou destruído. Tentei de tudo para alcançá-lo. Acho que isso é o melhor que poderíamos ter feito hoje. Tentamos tudo o que foi possível, mas não havia como passar Leclerc”, comentou o finlandês, que agora tem 221 pontos no Mundial de Pilotos e ocupa o segundo lugar, atrás apenas de seu companheiro de escuderia, que tem 284.

Os pilotos da Mercedes terão mais uma vez que colocar sua supremacia na temporada à prova na próxima etapa do campeonato, marcada para o fim de semana do dia 22 de setembro, no GP de Cingapura, na Ásia.

Comentários