Hérnia inguinal ou hérnia na virilha

0
43

Provavelmente, muitos leitores já ouviram falar ou já conviveram com alguma pessoa portadora de hérnia inguinal.

Muito mais frequente nos homens do que nas mulheres, as hérnias ingui­nais chegam a ocorrer cerca de 25 vezes mais nos homens.

Mas, afinal o que é uma hérnia inguinal? A hérnia inguinal é uma condição em que o conteúdo da cavidade abdominal, normalmente uma parte do intestino, desce pelo canal inguinal pressionando os músculos ele desce no caso dos homens para a bolsa escrotal e no das mulheres em direção à vagina.

Além das hérnias inguinais que são essas que ocorrem nas virilhas existem outras como a umbilical ou a femoral. Mas, por que ocorrem as hérnias inguinais?

Elas ocorrem por que a parede abdominal em algumas pessoas é frágil e o aumento da pressão no abdômen devido a diversas causas como a tosse em pacientes fumantes, portadores de DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica), pessoas que são descendentes de portadores de hérnia inguinal, quer dizer, é uma doença familiar, pessoas que são portadoras de intestino preso ou ressecados em geral, esses são elementos que levam a um aumento da pressão abdominal, o que contribui para o surgimento da hérnia inguinal.

A hérnia inguinal é tão frequente que a cada ano são diagnosticados cerca de dois milhões de casos novos de portadores de hérnia inguinal. Dois componentes importantes na ocorrência de hérnia inguinal: o vício de fumar e o esforço físico exagerado frequente em algumas profissões favorecem o aparecimento da hérnia inguinal. Já a atividade física protege, isto é, contri­bui para o não aparecimento da hérnia inguinal.

A presença da hérnia inguinal: ao notar o aparecimento de um abaula­mento (uma espécie de caroço não doloroso) na virilha que pode ser só de um lado ou dos dois.

Mas, nos obesos às vezes não se observa a presença desse abaulamento. Grande parte das hérnias inguinais não trazem sintoma algum e a pessoa passa a conviver durante longo tempo ou até durante a vida inteira com a doença.

Mas a presença da hérnia inguinal pode causar dor no local ou em todo o abdômen. Pode ocorrer ainda que uma parte do intestino pode ficar presa na bolsa escrotal (no caso dos homens) e nesse caso nós dizemos que ocorreu um encarceramento e se trata de uma hérnia encarcerada, o que se constitui numa emergência cirúrgica e a pessoa precisa ser operada imediatamente.

Por outro lado, se a hérnia for pequena e sem sintomas a pessoa pode conviver durante muito tempo com a presença da hérnia que se transformou em uma doença crônica sem que haja necessidade de uma cirurgia rápida.

Entretanto, existe um postulado da Clínica Cirúrgica que é verdadeiro por si só: hérnia diagnosticada é hérnia operada. E isto ocorre porque o único tratamento para a hérnia é a cirurgia e a pessoa portadora de hérnia sempre está correndo um certo risco de às vezes ter que se deslocar para locais de difícil atendimento médico de boa qualidade e ocorrer uma hérnia encarcerada e necessite ser operado de urgência.

Em resumo: se uma pessoa tem sinais ou sintomas sugestivos da presen­ça de uma hérnia inguinal ela deve marcar uma consulta com um médico clínico geral ou com um cirurgião geral e certamente ela vai receber muitas informações sobre o diagnóstico e tratamento de uma hérnia inguinal.

Quanto à cirurgia de hérnia inguinal que nós médicos damos o nome de herniorrafia, ela é atualmente um procedimento cirúrgico muito simples e tem que ser realizado em ambiente hospitalar onde o paciente é operado sob anestesia, especialmente indicada pelo médico anestesiologista, sendo realizada a cirurgia em um dia e sendo a pessoa não portadora de doenças crônicas graves, ela tem alta no dia seguinte necessitando de um repouso de alguns dias a ser fixado pelo médico cirurgião que realizou a cirurgia.

Em resumo: se a pessoa é portadora de uma hérnia inguinal só de um lado ou dos dois, ela pode em conjunto com o seu médico, escolher o mo­mento mais adequado para realizar a sua cirurgia com um médico cirurgião experiente e ela ficará livre desse incômodo e desse risco e assim pode voltar a ser uma pessoa sem risco de necessitar de uma cirurgia de urgência e assim, eu, Dr. Adão, como médico e como pessoa desejo para você: que você tenha uma vida longa e feliz.