O homem que foi acusado de ter atropelado Robert Maraj, pai de Nicki Minaj, se entregou à polícia. As informações são do jornal Daily Mail, que teve acesso a detalhes da prisão.

A publicação afirma que Charles Polevich, de 71 anos, se entregou as autoridades dias após a morte do pai da artista, que foi atropelado aos 64 anos por um carro na estrada de Mineola, no condado de Nassau, em Nova York.

Na ocasião, o motorista não prestou socorro e fugiu, o que levou os policiais a pedir ajuda da população para localizá-lo. Porém, nesta quarta-feira, foi anunciada pelo Departamento de Polícia do Condado de Nassau a prisão do suspeito.

“Ele estava absolutamente ciente do que aconteceu. Ele olhou para o falecido e tomou a decisão consciente de partir. Ele foi para casa e isolou o veículo”, declarou o detetive Stephen Fitzpatrick ao Daily Mail.

Até o momento desta publicação, Nicki Minaj não se manifestou publicamente sobre a morte do pai. No entanto, vale ressaltar que os dois tinham um relacionamento conturbado, principalmente porque Robert sofria com problemas com bebidas e drogas.

“É estranho, porque quando ele usava crack, ficava mais tranquilo; e quando ele bebia ficava barulhento e violento. Cada droga tem seu próprio espírito. Dava para ver a pessoa e senti-lo na sala”.

A rapper, inclusive, já chegou a revelar em algumas ocasiões que o pai era abusivo com sua mãe e até chegou a tentar matá-la.

“Eu tinha muito, muito medo de que ele explodisse. Não tinha medo por mim, mas por minha mãe. Ele não fez nada a mim ou a meu irmão que nos fizesse sentir que devíamos temê-lo”, disse ela ao The Guardian em 2012.

Via Portalpopline