© REUTERS/Denis Balibouse/Direitos Reservados

A decisão do Japão de ve­tar a presença de torcedores nas arenas de Tóquio e regiões vizinhas e nas províncias de Hokkaido e Fukushima não foi suficiente para que a rejei­ção aos Jogos Olímpicos di­minuísse no país, assim como as críticas de especialistas em saúde pública. Médicos japo­neses alertam que a proibição de público não eliminará o risco de um repique de casos de covid-19. A Olimpíada co­meça no próximo dia 23 e ter­mina em 8 de agosto.

“Eu, é claro, apoio que não tenha espectadores, mas as preocupações não desapare­cerão se tivermos um grande evento como os Jogos, assim como férias e a temporada de verão”, disse Yuki Furuse, professor da Universidade de Kyoto que trabalha com o grupo de especialistas em co­ronavírus do governo.

Equipes médicas alertam que os riscos decorrentes do comportamento das pessoas nos arredores de eventos olímpi­cos, como beber e jantar juntas, são mais difíceis de controlar do que aqueles dentro dos locais de competição. “Não é difícil ima­ginar que muitas pessoas esta­rão cheias de ânimo depois dos jogos e desejarão tomar uma bebida com outras”, disse Fumie Sakamoto, gerente de controle de infecções do Hospital Inter­nacional St Luke’s de Tóquio. “Haverá muitas oportunidades de transmissão do vírus fora dos locais de competição”.

O jornal japonês Nikkei publicou um editorial na sex­ta-feira no qual afirma que a proibição de público não é suficiente para impedir a dis­seminação do vírus. “Mesmo sem espectadores, teme-se que as infecções se espalhem à medida que dezenas de mi­lhares de visitantes vincula­dos aos Jogos Olímpicos, sem contar os atletas, venham ao Japão”, escreve o jornal. “É preciso implementar os tes­tes com mais profundidade e controlar as atividades (dos visitantes)”, completa.

O jornal Asahi Shimbun, patrocinador oficial que pe­diu o cancelamento dos Jogos em maio, acusou o governo japonês de tentar “apressar” o evento olímpico. “Dias de esportes escolares e festivais locais foram cancelados ou adiados, e dúvidas e frus­trações relacionadas ao tra­tamento especial dos Jogos Olímpicos podem afetar os esforços de prevenção do contágio.” Pesquisa publicada pelo Asahi Shimbun apontou que mais de 80% da popula­ção pede que os Jogos sejam cancelados ou adiados.

Embora o Japão tenha sido relativamente poupa­do da pandemia de covid-19 até agora, com menos de 15 mil mortes registradas ofi­cialmente desde o início de 2020, o programa de vacina­ção está muito lento no país. No momento, apenas 15% da população foi totalmente va­cinada e especialistas temem que a variante Delta cause uma nova onda que pode so­brecarregar a saúde no país, desencadeando em um au­mento no número de hospi­talizações.

Muitos moradores de Tó­quio são contra a realização da Olimpíada. Alegam que não é justo os moradores da cidade viverem com restrições impostas pelo estado de emer­gência, enquanto as pessoas envolvidas nos Jogos Olímpi­cos recebem tratamento espe­cial por parte do governo.