Traficante de drogas mais famoso do México, Joaquin “El Chapo” Guzman foi considerado culpado por ocupar um posto de liderança no cartel de Sinaloa. A decisão anunciada nesta terça-feira (12) abre a possibilidade de que ele seja condenado à prisão perpétua. Sua sentença será anunciada no dia 25 de junho.  O júri, cujas identidades dos membros foram mantidas em segredo, deliberou por seis dias sobre seu veredicto, após onze semanas de julgamento.

Ele foi considerado culpado de operar uma “empresa do crime” que lucrou bilhões de dólares transportando toneladas de cocaína, heroína, metanfetamina e maconha para cidades americanas, usando túneis secretos e pacotes escondidos em caminhões-tanque, vagões de trem e até em carros de passeio por mais de duas décadas, consolidando seu poder no México por meio de assassinatos e guerras com cartéis rivais.

Uma das maiores figuras da guerra das drogas mexicana, Guzmán, de 61 anos, foi extraditado para os EUA para julgamento em 2017 após ter sido preso no México no ano anterior, depois de escapar de uma prisão de segurança máxima através de um túnel de 1,5 quilômetro que acabava debaixo do chuveiro de sua cela. Para percorrer essa distância, usou uma motocicleta.

Comentários