Tatiana Pereira e o filho Itaberlly Lozano/ rede social

Vítima de 17 anos foi morta da residência da família em dezembro de 2016 na cidade de Cravinhos

 

Tatiana Lozano Pereira, acusada de matar o próprio filho Itaberlly Lozano, 17, em dezembro de 2016, na cidade de Cravinhos, será submetida a júri popular marcado para o dia 27 de novembro próximo, no Fórum de Ribeirão Preto.

A vítima foi esfaqueada na garganta e depois seu corpo foi queimado.

Dois comparsas também acusados, que teriam sido contratados pela gerente de supermercado para agredir o filho, também serão julgados por homicídio triplamente qualificado, e podem ser condenados até 30 anos de prisão.

A defesa de ambos afirmou que eles queriam “só dar uma lição” em Itaberlly.

O advogado de defesa de Tatiana manifestou que a gerente de supermercado não mandou matar o próprio filho.  

Itaberlly Lozano foi assassinado dentro da residência pela mãe com a participação dos rapazes.

Depois de matar o filho, Tatiana foi ajudada pelo marido, padrasto da vítima, para incinerar o corpo em um canavial nas proximidades da rodovia José Fregonesi.

Os suspeitos acusados estão presos. 

Itaberlly, antes de ser morto, postou em rede social que tinha sido agredido pela mãe por sua opção sexual.

 

 

Comentários