Literatura LGBTQIA+ no ‘40tena Cultural’

0
18
FOTO: CÍNTIA ANTUNES

A agenda semanal do “40tena Cultural”, projeto on­line que incentiva atividades culturais e interativas promo­vido pela Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto, apresenta nesta sexta-feira, 5 de junho, às 17 horas, uma live sobre literatura LGBTQIA+, com a escritora Amara Moira e a youtuber DaCota Monteiro. O encontro online acontece ao vivo pelo Instagram da Funda­ção (@fundacaolivrorp).

Amara Moira é professo­ra, feminista, travesti, doutora em crítica literária pela Uni­versidade Estadual de Campi­nas (Unicamp) e colunista do Mídia Ninja. No ano passado, participou da 19º edição da Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto e deixou sua voz registrada durante o Salão de Ideias, no auditório Meira Junior lotado com um públi­co que veio ouvir e debater sua ideologia e pensamentos.

DaCota Monteiro é de­signer, drag queen performer e tem um canal no YouTube (dacotamonteiro) com mais de 25,4 mil inscritos. Juntas, irão abordar a literatura LGB­TQIA+. A agenda do “40ntena Cultural” desta semana come­çou nesta terça-feira (2/6) com o lançamento do Tribunal Li­terário, realizado ao vivo, pela plataforma Zoom e também transmitido pelo canal da Fun­dação no Youtube. A atividade, que tem o objetivo de incen­tivar a leitura, funciona como um julgamento de persona­gens dos clássicos da literatura.

Nesta primeira edição, a personagem julgada foi Ma­ria Capitolina Santiago, a fa­mosa Capitu, da obra “Dom Casmurro”, do escritor Ma­chado de Assis (1839-1908), publicado em 1899. A ativi­dade, coordenada pelo pro­fessor de Literatura e Língua Portuguesa e coordenador do Curso de Letras na Centro Universitário Barão de Mauá, André Alselmi, contou com a colaboração de Elaine Chris­tina Mota e Melissa Velludo, que atuaram como advogadas de defesa de Capitu e Bentinho (Bento de Albuquerque San­tiago), respectivamente.

Mais de 100 pessoas par­ticiparam da atividade que puderam, inclusive, votar: de­fendendo ou julgando Capitu por infidelidade ao marido. Ao final, Capitu foi absolvida e não foi julgada com infiel ao marido, com mais de 80% dos votos da plateia online. O Tribunal Literário será reali­zado uma vez por mês dentro do “40ntena Cultural”, sempre abordando um livro diferente.