FOTO: ANDREA GOLDSCHMIDT

O Sesc Ribeirão Preto apre­senta nesta quinta-feira, 8 de julho, às 19h30, no canal do YouTube (YouTube.com/sescri­beirao), a última live do projeto virtual “Brasil Vivo! Festas, Tra­dições e Cultura Popular”. O ba­te-papo ao vivo sobre a folclórica “Procissão das Almas”, na cidade histórica de Mariana (MG), na região Sudeste do país, será me­diado pela produtora cultural Vandreza Freiria.

O evento terá a participa­ção de Hebe Rola (professora emérita, pesquisadora e pro­motora da cultura marianen­se), de Lucas Carvalho (artista e professor universitário) e da fotógrafa paulista, produtora audiovisual e curadora do pro­jeto Andrea Goldschmidt.

A “Procissão das Almas” de Mariana é única no Brasil. Des­de 1850 ela acontece durante a Semana Santa, na noite de Sexta­-Feira da Paixão, mais exatamen­te às 00h05 do Sábado de Aleluia. Vultos brancos perambulam pelas ruas do centro histórico da cidade durante a madrugada. São almas que rezam por outras almas. Com orações, cantos e tra­jes, a procissão mistura folclore com religião, fé e lendas.

“Não precisamos saber quem são aquelas pessoas que passam em procissão. Seus rostos e corpos não pre­cisam ser vistos. De acordo com uma das lendas da re­gião, não se deve nem espiar a sua passagem, sob o risco de morte para quem fizer isso”, diz Andrea Goldschmidt.

“Jogam penas de galinhas ao vento. Possivelmente com pena daqueles que morreram. Ou pensando nas penas às quais po­dem estar sendo submetidos ‘do outro lado’ por seus pecados ter­renos não confessados antes da morte”, ressalta a fotógrafa, que já registrou 38 festas populares e manifestações culturais e religio­sas, em 13 estados diferentes.

Duas lendas deram origem ao cortejo e são encenadas na pro­cissão. A primeira delas é sobre uma senhora chamada Maricota de Todos os Santos, muito male­dicente, que vivia na janela de sua casa vigiando a vida alheia. Com calos nos cotovelos de ficar debru­çada na janela, ficava observando quem ia e quem vinha.

A outra lenda é de uma se­nhora que trabalhava ajudando o padre. Para cada uma existe um canto: “reza mais, reza mais, reza mais uma oração; reza mais, reza mais pra alma que morreu sem confissão” e “reza mais, reza mais, reza novena e trezena; reza mais, reza mais pra alma que morreu sem cumprir pena”.

Todo o enredo, os cantos e as curiosidades serão aborda­dos no encontro virtual, que tem como base a fotografia artística de Andrea, sempre acompanhada de convidados locais da região: oportunida­de de conhecer um roteiro de turismo cultural. Na live, os internautas podem interagir mandando perguntas e ficar por dentro dos bastidores desta misteriosa procissão.

“Brasil Vivo! Festas, Tradi­ções e Cultura Popular” teve iní­cio em 20 de maio com o objeti­vo de estimular os participantes a fazer uma viagem virtual e encontrar um novo universo de referências culturais de um Bra­sil plural. O projeto integra uma iniciativa do Sesc São Paulo, de­nominada “Outras Viagens”, em que os temas do turismo e das viagens são abordados em ati­vidades sem deslocamento dos participantes.