Mergulho noturno no Refúgio de Alcatrazes

0
41
DIVULGAÇÃO

 

Mergulho autônomo,
uma das opções
para os turistas – FOTOS: CRISTIAN DIMITRIUS

O Refúgio de Vida Sil­vestre do Arquipélago de Alcatrazes, ou simplesmente o Refúgio de Alcatrazes, em São Sebastião, litoral paulista, oferece, desde o dia 10 de de­zembro, novas atividades de visitação: o mergulho notur­no e o pernoite embarcado (liveaboard). A ampliação é fruto do resultado do moni­toramento realizado ao longo de 2019 que não constatou impactos ambientais nas atu­ais atividades de mergulho de flutuação, livre e autônomo e passeios embarcados.

Além das novas atividades, foram credenciadas quatro no­vas embarcações para operar em Alcatrazes que desenvol­verão atividades de observação de aves e passeios náuticos. O ecoturismo em Alcatrazes movimentou em 2019 cerca de R$ 4 milhões na economia regional, gerando emprego e renda para a população. Além disso, vem implementando a visitação pública alinhada com os melhores padrões interna­cionais de segurança e cuidado com o ambiente marinho.

A unidade, criada em 2 de agosto de 2016, exibe rochas e paredões graníticos com até 316 metros de altura, emer­gem do mar e encantam por sua beleza que é ressaltada pela revoada sincronizada das 10 mil aves marinhas que ali vivem e se reproduzem. Nas águas de Alcatrazes está a maior quantidade de pei­xes do Sudeste do Brasil, das mais variadas formas e cores, que lá encontram o ambien­te ideal para reprodução e crescimento. Algas, esponjas, corais, tartarugas marinhas, raias, tubarões, baleias e gol­finhos, completam o cenário.

A visitação pública ao Refúgio de Alcatrazes pode ser realizada somente com empresas e condutores auto­rizados pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

Conheça o Refúgio de Alcatrazes
O Refúgio de Alcatrazes, criado em 2016, é uma unidade conservação federal administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Ele fica no litoral norte do estado de São Paulo, no município de São Sebastião, e abriga mais de 1300 espécies, 100 delas sofrem ameaça de serem extintas. Possui também o maior ninhal de Fragatas (Fregata magnificens) do Atlântico Sul e é área de alimentação, reprodução e descanso para mais de 10 mil aves marinhas. Nas águas de Alcatrazes está a maior quantidade de peixes do Sudeste do Brasil, das mais variadas formas e cores, que lá encontram o ambiente ideal para reprodução e crescimento.

O Refúgio de Alcatrazes abriga mais de 1300 espécies, 100 delas sofrem ameaça de serem extintas

Visita Embarcada – Ida ao Refúgio de Alcatrazes com objetivo de apreciação da beleza cênica e da biodiversidade, e experiência de contato com o ambiente natural, podendo haver paradas para mergulho de flutuação (snorkeling), observação da fauna e registro de imagens. O Refúgio de Alcatrazes é área de ocorrência de baleias, golfinhos e aves marinhas. Outros animais também podem ser observados durante a visita, a exemplo da tartatuga-verde (Chelonia mydas), tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata) e peixes que nadam na superfície como o peixe-lua (Mola mola) e o tubarão-martelo (Sphyrna lewini).

Mergulho Autônomo – Mergulhos para contemplação do ambiente marinho submerso, podendo ser livre ou com equipamentos SCUBA, geralmente com boa visibilidade (de 5 a 30 metros dependendo da época do ano) e grande biodiver­sidade marinha e de ambientes. No local existem áreas abrigadas que oferecem boas condições para o fundeio e para a segu­rança das embarcações e dos mergulhadores. Existem 10 pontos para mergulho autônomo do Refúgio de Alcatrazes, que va­riam em termos de profundidade, grau de dificuldade e caracterís­ticas dos ambientes. Cada ponto de mergulho é único.