Fernando Tremura - Arquivo Pessoal

O advogado e servidor público morreu de complicações de covid

Morreu na madrugada desta sexta-feira (14), aos 57 anos, o advogado e ex-presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Fernando Tremura. Ele estava hospitalizado há cerca de três semanas, tratando de Covid, mas não resistiu.

Liderança dos movimentos sociais, principalmente focados em moradia, Tremura também atuava junto aos Correios e era servidor da USP Ribeirão Preto. Além de presidente do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores, foi membro da Executiva da Macro Ribeirão Preto e, recentemente, foi candidato a Vereador em Ribeirão Preto.

Em nota na manhã desta sexta-feira, o partido destacou que Tremura foi “sempre um defensor dos direitos dos trabalhadores, lutando por um país mais justo, solidário, igualitário e fraterno”. A Coordenação da Macro Ribeirão Preto do partido também se solidarizou à esposa, Paula Tremura, aos filhos e netos, parentes e amigos, “com votos de sentimentos e profundo pesar”.

Pelas redes sociais, amigos também lembraram que Tremura tinha uma comorbidade: perdeu parte de seu pulmão no salvamento de uma criança em um incêndio. “Não se preocupou jamais em colocar em risco sua própria vida, para proteger ou salvar um desconhecido”. Eles destacaram ainda que, em todos os lugares por onde passou, Tremura “deixou seu legado, ajudando a construir as instituições e sempre com um viés de defesa de vulneráveis”.

O sindicato dos trabalhadores de Correios de Ribeirão Preto decretou luto por três dias. A OAB de Ribeirão Preto também publicou nota de pesar.