TOMAZ SILVA/AG.BR.

A Secretaria Municipal da Educação informou nes­ta quarta-feira, 21 de julho, que uma possível fraude em vacinação contra a covid-19, constatada em 16 de junho e denunciada pelas redes sociais pelo titular da pasta, Felipe Elias Miguel, está sendo inves­tigada pelo Ministério Público de São Paulo (MPSP).

A acusação foi divulgada pelo próprio secretário na pá­gina de um grupo de profis­sionais da área no Facebook. “Retrato da falta de respeito de colegas da Educação (e outros) com a Saúde e com a organiza­ção. Pessoas se passando por outras, pessoas que não são da educação e até um caso de pessoa tomando três doses”, postou. “O esforço é enorme para filtrar pessoas de caráter duvidoso. Infelizmente é a re­alidade”, escreveu o secretário.

Ao Tribuna, a Secretaria Municipal da Educação infor­mou que, na etapa de vacinação para os profissionais da educa­ção realizada em 16 de junho, houve denúncia relacionada a uma pessoa que poderia ter sido imunizada três vezes. A Secretaria Municipal da Saúde está investigando o caso.

A Câmara de Ribeirão Pre­to pode convocar o secretário municipal da Educação, Felipe Elias Miguel, para prestar es­clarecimentos sobre denúncia de possível fraude na vacina­ção contra a covid-19 dos pro­fissionais da área. Projeto de resolução elaborado pela Mesa Diretora foi protocolado em 24 de junho, a partir de requeri­mento apresentado por Judeti Zilli (PT, Coletivo Popular).

A convocação ainda não tem data para ser votada pe­los vereadores, que estão em recesso parlamentar de 15 dias e só retornam em 3 de agosto. A prefeitura de Ribeirão Preto também abriu procedimento para investigar denúncia de fraude na vacinação de profes­sores contra a covid-19.

No dia 14 de julho, mais dois mil profissionais da área educacional foram vacinados com a primeira dose da vacina contra a covid-19 em Ribeirão Preto, chegando a doze mil pessoas. O número representa quase 100% dos educadores da cidade, contando funcionários da rede pública municipal e es­tadual e da particular.

Já foram realizadas qua­tro ações de vacinação contra a covid-19. A rede municipal de ensino conta com cerca de cinco mil professores, direto­res, coordenadores, monito­res, supervisores, cozinheiros, auxiliares, motoristas e outros funcionários que atuam no ambiente escolar.

Se a prefeitura de Ribeirão Preto não conseguir reverter a decisão da Justiça do Trabalho que manteve a volta das aulas presenciais somente depois da aplicação da segunda dose em todos os profissionais da área, o retorno dos alunos às escolas só deve ocorrer entre setembro ou outubro.