Óbitos por covid-19 triplicam no Estado

0
39
YVES HERMAN/REUTERS

O Estado de São Paulo re­gistrava nesta sexta-feira, 3 de abril, 219 óbitos relacionados ao novo coronavírus, causador da covid-19. O número é três vezes maior que o da última sexta-fei­ra, 27 de março, quando a Secre­taria Estadual da Saúde conta­bilizava 68 mortes. Foram mais 151 em sete dias, média diária de 21 vítimas fatais e alta de 222%.

Os casos confirmados tam­bém quadruplicaram no perío­do, saltando de 1.223 para 4.048, alta de 231% e 2.825 pessoas infectadas a mais, média de 403 por dia. Os óbitos concentram­-se em 25 cidades, sendo que oito delas tiveram nesta sexta­-feira a confirmação da primeira morte – Barueri, Carapicuíba, Diadema, Itapecerica da Serra, Franco da Rocha e Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo; além de Jaboticabal e Cravinhos.

Entre os municípios com pelo menos um óbito estão São Paulo, São Bernardo do Campo, Osasco, Cotia, Guarulhos, Santo André, Sorocaba, Arujá, Barueri, Caieiras, Campinas, Carapicuíba, Cravinhos, Diadema, Embu das Artes, Franco da Rocha, Itapece­rica da Serra, Jaboticabal, Mogi das Cruzes, Ribeirão Preto, São Caetano do Sul, São Sebastião, Suzano, Taboão da Serra e Var­gem Grande Paulista.

O total soma 121 ho­mens (55,25%) e 98 mulheres (44,75%). Entre as 219 mortes, 24 tinham mais de 90 anos, 57 estavam na faixa de 80 a 89 anos, 66 entre 70 e 79 e 45 tinham entre 60 e 69 anos. As demais vítimas incluem pessoas com menos de 60 com comorbidades que, assim como os idosos, re­presentam grupo mais vulnerá­vel a complicações da covid-19.

Força-tarefa
O Instituto Adolfo Lutz rea­lizou nas últimas 24 horas uma força-tarefa para diagnosticar todos os óbitos considerados suspeitos que estavam na instu­tuição. Das 201 amostras que estavam aguardando resultado, 32 testaram positivo para co­vid-19 e 132 deram negativo. Outras 37 foram consideradas inadequadas, ou seja, a uni­dade que realizou a coleta não manteve a amostras em tempe­ratura adequada ou não havia amostras suficiente para análise. Estes resultados estão sendo co­municados para as unidades e municípios notificantes e sendo inseridos em sistema oficial.

O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta sexta­-feira o lançamento do Centro de Mídias da Educação de SP (centrodemidiasp.educacao. sp.gov.br), uma plataforma que vai permitir que os estudantes da rede estadual tenham acesso gratuitamente a aulas ao vivo, videoaulas e outros conteúdos pedagógicos durante o período do isolamento social provocado pelo combate à covid-19.

As aulas na rede estadual de São Paulo estão suspensas desde 23 de março como medida de controle à propagação do co­ronavírus. O governo também fechou um contrato com a TV Cultura, que vai transmitir as aulas por meio do Canal digital 2.3 – TV Cultura Educação. As aulas que contarão como dias letivos recomeçam no dia 22 de abril. O download do Centro de Mídias SP está disponível para os sistemas Android e IOS. Para ter acesso, estudantes e professo­res da rede estadual terão de fa­zer o login com os mesmos da­dos usados na Secretaria Escolar Digital (SED).

O aplicativo foi desenvolvido pela IP.TV e doado à Secretaria de Estado de Educação (Seduc), durante a suspensão das aulas. A rede estadual tem cerca de cinco mil escolas com aproximada­mente 3,5 milhões de alunos. A Região Administrativa de Ribei­rão Preto contempla as Direto­rias Regionais de Ensino (DREs) de Ribeirão Preto, Jaboticabal e Sertãozinho. São 32 municípios, 165 escolas e 99,4 mil estudantes matriculados na rede estadual da região são 82 na metrópole, com cerca de 46 mil estudantes.

Deputados
Doria também anunciou a destinação de R$ 325 milhões da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) para a Secretaria da Saúde do Estado, que fará a aplicação dos recursos em ações de combate à pandemia do co­ronavírus. O montante é fruto de emendas parlamentares de todos os 94 deputados estaduais.

A autorização para libera­ção do primeiro lote, no valor de R$ 82 milhões, será publica­da no Diário Oficial do Estado neste sábado (4). O restante dos recursos, no total de R$ 243 milhões, será liberado no prazo máximo de dez dias. O dinheiro proveniente das emendas será aplicado imediatamente pela Secretaria da Saúde nas ações de enfrentamento da pandemia em todo o Estado.