Obra do Bom Prato pode custar R$ 4 mi

0
70
DIVULGAÇÃO

A prefeitura de Ribeirão Preto, por meio da Secretaria Municipal da Assistência So­cial (Semas) e da Coordena­doria de Projetos, apresentou o projeto executivo da segunda unidade do Bom Prato no mu­nicípio à Secretaria Estadual do Desenvolvimento Social. Por videoconferência, partici­param o prefeito Duarte No­gueira Júnior (PSDB), o secre­tário Guido Desinde Filho, o coordenador André Almeida de Moraes e a secretária esta­dual Célia Parnes.

Localizado na avenida Governador Lucas Noguei­ra Garcez, no bairro Cidade Universitária, na Zona Oeste, a 700 metros do Hospital das Clínicas (HC), o restaurante contará com área total de 2.460 metros quadros, sendo 1.103 m² de área construída. Energe­ticamente sustentável, o prédio funcionará 100% por energia solar, contará com climatiza­ção interna e captação de água da chuva para reutilização.

Além disso, terá uma ala para estacionamento de vans e ambulâncias, incluindo as vans que transportam os pacientes do restaurante para o HC. A elaboração do projeto execu­tivo custou R$ 70,5 mil ao go­verno do Estado, por meio da parceria, e execução dos proje­tos e construção da obra estará a cargo da prefeitura de Ribei­rão Preto. A empresa vencedo­ra da cotação de preços foi a Ivo Ferriani Arquitetura Ltda.

Depois de inaugurado, o Bom Prato do HC deverá servir 1.400 almoços diaria­mente, dos quais 140 para crianças com até seis anos de idade e 1.260 para adultos, de segunda a sexta-feira, exceto aos feriados. O valor pago pe­los usuários será de R$ 1 e as crianças até seis anos estarão isentas. Também está previsto o fornecimento de 300 cafés da manhã diários, a R$ 0,50 para os usuários. O custo total do almoço será de R$ 5,70 e do café da manhã R$ 1,96.

A diferença entre o preço pago pelo usuário e o valor total das refeições será subsi­diado pela esfera pública. Ao redor do restaurante, serão fei­tas duas praças públicas, tanto para atender a população local quanto para ser uma opção aos familiares daqueles que se con­sultam no hospital.

O segundo Bom Prato de Ribeirão Preto também conta­rá com recuo nas calçadas de forma que, dentro da estrutu­ra, haja espaço para que as pes­soas não se aglomerem, além de cobertura para chuva e sol. A unidade será operada pelo Instituto Protagonismo, em parceria no regime de mútua cooperação em interesse público e recíproco com a prefeitura de Ribeirão Preto, por meio da Se­mas, e o governo de São Paulo, por meio da Secretaria do De­senvolvimento Social e Coorde­nadoria de Segurança Alimentar e Nutricional (Seds/Cosan).

“Esta é uma etapa muito importante para o início da construção. Como ex-gestor do Bom Prato, digo que esta é uma unidade sonho de con­sumo para qualquer gestor. Desde o início, conversamos diretamente com o Estado so­bre logística, estrutura inter­na, organização das filas, área de convivência. Tudo isso foi pensado e planejado e imagi­no que possa ser o início de vários outros projetos neste padrão. Para se ter uma ideia, o Bom Prato da rua Salda­nha Marinho tem 410 metros quadrados, ou seja, a segunda unidade será seis vezes maior”, ressalta Guido Desinde Filho.

Com a finalização do pro­jeto executivo, o edital de lici­tação será publicado nos pró­ximos dias, com orçamento inicial previsto em R$ 4 mi­lhões. “O projeto, além de ser arquitetonicamente bonito, tem essa pegada de sustenta­bilidade, ecologicamente cor­reto, então é um ganhador em todos os aspectos. Fico muito feliz que Ribeirão seja o mu­nicípio que está implantando esta unidade”, diz a secretária estadual Célia Parnes.

O Bom Prato do Centro, na rua Saldanha Marinho nº 765, serve diariamente 2.050 refei­ções, sendo 1.750 no almoço a R$ 1 e 300 no café da manhã, a R$ 0,50. A entidade responsá­vel pela unidade é Associação Espírita Casas de Betânia. Des­de sua inauguração, em no­vembro de 2005, o restaurante já atendeu mais de 4,6 milhões de pessoas. A rede de restau­rantes serve diariamente mais de 100 mil refeições, entre al­moço e café da manhã.