Jornal Tribuna Ribeirão

Passaredo demite 80 trabalhadores

A Passaredo Linhas Aére­as anunciou a demissão de 80 funcionários em Ribeirão Preto, segundo o Sindicato dos Aero­viários do Estado de São Paulo (Saesp), que acompanha as res­cisões. Em nota enviada à reda­ção do Tribuna por sua assesso­ria de imprensa, a companhia “informa que segue operando normalmente todas as suas ro­tas – hoje em 14 cidades e nove estados do Brasil, sem previsão de mudança e que realiza um ajuste natural em seu quadro de funcionários, mantendo a prio­ridade na qualidade, eficiência e segurança das operações.”

A empresa comunica tam­bém que “os desligamentos fo­ram programados e assistidos pelo sindicato e todos os cola­boradores terão seus direitos preservados. Trata-se de uma operação padrão, objetivando através destes ajustes, manter a saúde financeira e a rentabili­dade do negócio.” A companhia enfrenta problemas financeiros causados pela concorrência, que passou a operar voos nos mes­mos horários e rotas.

Segundo o sindicato, os fun­cionários da Passaredo ainda não foram oficialmente dispensados e os termos da demissão também não foram definidos, apesar de uma tentativa de acordo por par­te da empresa. Os empregados devem se reunir em assembleia na próxima sexta-feira (9) para definir os termos da demissão. A maioria é da área operacional que atua em Ribeirão Preto.

No ano passado, o Ministério Público do Trabalho (MPT) ob­teve liminar contra a Passaredo pela qual a empresa foi proibida de efetuar dispensas em massa sem prévia negociação com o sin­dicato da categoria e de submeter seus empregados à arbitragem para receber direitos trabalhistas. A decisão foi proferida pela juíza Roberta Confetti Gatsios Ams­talden, da 1ª Vara do Trabalho de Ribeirão Preto.

A procuradora Cinthia Pas­sari von Ammon ingressou com ação civil pública após a instrução de um inquérito que concluiu pela ilegalidade da dispensa em massa de 200 trabalhadores da companhia aérea em junho de 2016. Em agosto, a juíza Carina Roselino Biagi, da 8ª Vara Cível de Ribeirão Preto, determinou o fim da recuperação judicial da Passaredo. A magistrada consi­derou o total cumprimento do plano aprovado pela assembleia geral de credores em maio de 2013 e que previa a renegociação de uma dívida estimada em R$ 150 milhões.

O plano contemplou o pa­gamento dos créditos estrita­mente salariais, vencidos nos três meses que antecederam o pedido de recuperação e limi­tados a cinco salários mínimos, em até 30 dias da aprovação do plano. A companhia área che­gou a demitir 200 funcionários em junho do ano passado e ain­da deixou de atender destinos como Dourados (MS) e Uber­lândia (MG), como parte de um processo de reestruturação.

Eram 82 credores trabalhis­tas. Em setembro, a Passaredo anunciou que a transação en­volvendo a transferência de seu controle societário para a Via­ção Itapemirim não se efetivou. A companhia iniciou sua opera­ção no ano de 1995, sendo uma empresa de transporte aéreo de característica regional, utilizan­do atualmente em sua opera­ção uma frota de sete aeronaves ATR 72, contando com aproxi­madamente 700 funcionários e sede em Ribeirão Preto.

Transportou no ano de 2016 mais de 800 mil passageiros, e atende hoje a 14 cidades em nove Estados do Brasil. No ano de 2012, ajuizou processo de recuperação judicial, já finaliza­do. A Passaredo opera de forma complementar com as malhas aéreas das empresas Latam Li­nhas Aéreas S/A, através de codeshare, e Gol Linhas Aéreas S/A, através de contrato interli­ne. Atualmente é a única empre­sa aérea brasileira com operação genuinamente regional.

Deixe o seu comentário:

Mais notícias

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com