Petrobras reduz o preço da gasolina

0
29
ALFREDO RISK/ARQUIVO TRIBUNA

A Petrobras anunciou re­dução de 4% no preço médio da gasolina vendida nas refi­narias em todo o país. O novo valor vale a partir desta sexta­-feira, 16 de outubro, na venda às distribuidoras. O diesel não teve o preço modificado.

Desde janeiro, a estatal acumula queda de 24,3% no preço do diesel e uma redu­ção acumulada de 9,1% no caso da gasolina.

Para se ter uma ideia, o pre­ço médio da gasolina da Petro­bras para as distribuidoras será de R$ 1,74 por litro após o re­ajuste. Entre julho e agosto, o preço médio da Petrobras cor­respondeu a cerca de 30% do preço final ao consumidor nos postos de combustíveis, expli­ca a companhia em nota.

A expectativa é para saber se a queda chegará às bombas, mas dificilmente isso ocor­re porque os revendedores querem recuperar as perdas provocadas pela pandemia de coronavírus. . Os valores finais aos motoristas dependerão de cada posto, que acrescem im­postos, taxas, custos com mão de obra e margem de lucro.

Além disso, o mercado brasileiro é baseado na livre concorrência, fazendo com que cada empresa cobre o que achar melhor. A Petrobras lembra também que a gasoli­na e o diesel vendidos às dis­tribuidoras são diferentes dos produtos no posto de com­bustíveis. São os combustí­veis tipo “A”, ou seja, gasolina antes da sua combinação com o etanol e diesel também sem adição de biodiesel.

Os produtos vendidos nas bombas ao consumidor final são formados a partir do tipo “A” misturados a biocombus­tíveis. A Petrobras, no comu­nicado, ainda ressalta pes­quisa da Globalpetrolprices. com. Realizada em 127 países, aponta que o preço médio do óleo diesel ao consumidor final no Brasil está 32% infe­rior à média global e ocupa a 24ª posição do ranking sendo, portanto, inferior aos preços observados em 103 países.

De acordo com a pesquisa, para a gasolina, o preço final no Brasil está 23% inferior à média global e ocupa a 31ª po­sição do ranking, ou seja, infe­rior a 96 países. Nos dois casos, os preços médios no Brasil es­tão abaixo dos preços registra­dos no Reino Unido, Canadá, China, Chile e Alemanha.

Ao todo, a gasolina já so­freu 31 reajustes em 2020. O óleo diesel automotivo sofreu 23. Dos 31 reajustes praticados na gasolina, 15 foram aumen­tos e 16 reduções. Entre as 23 correções no valor cobrado pelo litro do diesel, houve dez aumentos e treze quedas.

Nos postos de Ribeirão Preto, ao litro da gasolina custa entre R$ 4 (R$ 3,999) e R$ 4,60 (R$ 4,599). A nova gasolina, com 5% a mais de octanagem, é vendida por R$ 5,60 (R$ 5,599). O etanol é vendido por R$ 2,40 (R$ 2,399) a R$ 2,90 (R$ 2,899).

Considerando os valores máximos de de R$ 2,90 para o litro do etanol e de R$ 4,60 para o da gasolina, ainda é mais vantajoso abastecer com o derivado de cana-de-açú­car, já que a paridade está em 63, % – deixa de ser vanta­gem encher o tanque com o derivado da cana-de-açúcar a relação chega a 70%.

Comentários