Se você já escutou falar sobre “ISRC automático” ou “ISRC irregular” é fundamental entender o porquê que essas duas apresentações são tão prejudiciais para a música, nesse caso apresentada como um fonograma.

Recentemente, o Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) fez um comunicado a todas as agregadoras e distribuidoras musicais sobre a geração do ISRC (International Standard Recording Code) irregular de identificação de fonogramas. O texto esclarece o problema e solicita que estas empresas encaminhem seus usuários às Associações de Música para a emissão de códigos válidos para suas gravações, confira o comunicado na íntegra clicando aqui.

ISRC é o International Standard Recording Code ou Código de Gravação Padrão Internacional, um padrão internacional de código para identificar de forma única as gravações (fonogramas).

Cada gravação (Fonograma) possui seu próprio e único ISRC. O código deve ser gerado e cadastrado na Associação de Música vinculada ao Ecad e essa função somente é realizada pelo (a) Produtor (a) Fonográfico (a).

Cada novo fonograma significa um novo ISRC. Antes de disponibilizar a música nas plataformas digitais é fundamental ter o ISRC devidamente cadastrado para que ocorra a correta arrecadaçãoe distribuição de direitos autorais.

Via Portalpopline