Prefeitura compra áreas do Bom Prato

0
184
ALFREDO RISK

A área de 1.475 metros qua­drados, desapropriada pela prefeitura de Ribeirão Preto e onde será construído o Res­taurante Bom Prato do Hos­pital das Clínicas Campus, custou para o município R$ 515.579,04. O governo Du­arte Nogueira Júnior (PSDB) efetuou o pagamento na quin­ta-feira, 5 de dezembro. For­mado por três terrenos locali­zados na avenida Governador Lucas Nogueira Garcez, no Parque Residencial Cidade Universitária, na Zona Oeste, o local recebeu nesta sexta-feira (6) a visita do prefeito.

Também participaram da visita o secretário municipal de Assistência Social, Guido De­sinde Filho, o superintendente do Hospital das Clínicas, Be­nedito Maciel, a vice-prefeita do campus da Universidade de São Paulo (USP), Carla da Silva Santana Castro, os vere­adores Igor Oliveira (MDB) e André Trindade (DEM) e representantes da entidade Projeto Gourmet, que vai ge­rir a unidade. No local, Duar­te Nogueira apresentou o an­teprojeto executivo do novo restaurante popular, que será construído pelo governo de­São Paulo e tem previsão de inauguração para o final do próximo ano.

“Nesta semana, o Poder Ju­diciário fez a emissão de posse desses três lotes onde será im­plantado o Restaurante Bom Prato II, do Hospital das Clíni­cas, e a prefeitura efetuou o pa­gamento do valor dos terrenos. Portanto, a vinda hoje (ontem) é, de fato, para comunicar que a prefeitura já é proprietária desses terrenos e, a partir de agora, vamos elaborar o proje­to executivo e abrir o processo de licitação de construção do restaurante em conjunto com o governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de De­senvolvimento Social de São Paulo”, afirmou o tucano.

Ainda de acordo com o prefeito, as obras devem ter início em 2020, com expec­tativa de entrega no final do ano. O valor global para a execução da parceria é de R$ 3.429.007,87, dos quais R$ 2.376.162,00 correspondem a repasses da Secretaria Estadu­al de Desenvolvimento Social, R$ 715.855,87 à contrapartida da prefeitura de Ribeirão Preto e R$ 336.990,00 de pagamen­tos realizados pelos usuários do programa.

Ribeirão Preto já possui uma unidade do Bom Prato que atende na região central da cidade. A novela sobre a insta­lação do segundo restaurante popular começou em 2017, na gestão do ex-governador Ge­raldo Alckmin (PSDB).

Em outubro daquele ano, em uma solenidade no Palácio dos Bandeirantes, ele anun­ciou para o vereador Igor Oli­veira que o restaurante ficaria pronto em março de 2018. Funcionaria no imóvel da rua Capitão Pereira Lago nº 1.605, no Jardim Monte Alegre, na Zona Oeste da cidade.

Contudo, a data acabou sendo prorrogada para setem­bro, mas também não foi cum­prida. O emedebista preside uma Comissão Especial de Es­tudos (CEE) na Câmara sobre o tema. Meses depois, a história mudou de novo e o secretário Guido Desinde Filho afirmou que o Bom Prato teria novo endereço, pois um empresário anônimo da cidade se dispôs a construir o prédio, equipá-lo e doá-lo ao município. A única condição era que o edifício fi­casse o mais próximo possível do ambulatório do HC.

Tudo estaria resolvido não fosse a prefeitura divulgar, pouco tempo depois, que o empresário anônimo havia de­sistido da doação. Para viabili­zar o projeto, a administração anunciou uma parceria com a USP, que – por meio da Facul­dade de Medicina de Ribeirão Preto – cederia, em comodato, uma área de 700 metros qua­drados para a construção do Bom Prato do HC.

O anúncio chegou a ser fei­to pela professora Margaret de Castro, presidente do Conse­lho Gestor do Campus e dire­tora da faculdade, no dia 18 de julho. Entretanto, a prefeitura divulgou em outubro que o terreno “não atende as neces­sidades para a implantação do restaurante”. Disse, ainda, que a mudança não prejudicará a viabilização do projeto para o segundo semestre de 2020.

Depois de inaugurado, o Bom Prato do HC deverá servir 1.400 almoços diaria­mente, dos quais 140 para crianças com até seis anos de idade e 1.260 para adultos, de segunda a sexta-feira, exceto aos feriados. O valor pago pe­los usuários será de R$ 1 e as crianças até seis anos estarão isentas. Também está previsto o fornecimento de 300 cafés da manhã diários, a R$ 0,50 para os usuários. O custo total do almoço será de R$ 5,70 e do café da manhã R$ 1,96.

A diferença entre o preço pago pelo usuário e o valor total das refeições será subsi­diado pela esfera pública. O Bom Prato do Centro, na rua Saldanha Marinho nº 765, ser­ve diariamente 2.050 refeições, sendo 1.750 no almoço a R$ 1 e 300 no café da manhã, a R$ 0,50. A entidade responsável pela unidade é Associação Es­pírita Casas de Betânia. Desde sua inauguração, em novem­bro de 2005, o restaurante já atendeu mais de 4,6 milhões de pessoas. A rede de restaurantes serve diariamente mais de 100 mil refeições, entre almoço e café da manhã.

O Hospital das Clínicas re­aliza seis mil atendimentos por dia (180 mil por mês, conside­rando os finais de semana, 2,16 milhões anuais), 1,5 milhão de alta complexidade por ano. A estimativa é que passem pelo local 700 mil pessoas por ano. Do total de pacientes, 59,5% são de Ribeirão Preto, 35,6% são das demais 25 cidades da área do Departamento Regio­nal de Saúde (DRS-XIII).

O HC tem 6.764 funcio­nários – 676 médicos, 2.416 enfermeiros, 1.229 de setores administrativos, 1.486 de equi­pes de apoio, 539 terceirizados e 418 multiprofissionais, além de 325 professores da USP e 861 residentes. Possui 922 leitos, sendo 746 na Unidade Campus (173 do HC Criança) e 176 na Unidade de Emergên­cia (UE), no Centro de Ribei­rão Preto.

Comentários