Retomada com prudência e segurança

0
418

Chegamos ao momento de retomada gradativa das atividades econômicas não essenciais após a duradoura quarentena que nos impôs a pandemia de covid-19. Será um período de adequação que se dará aos poucos e com a prudência e a segurança necessárias. Fi­zemos tentativas anteriores de retomada, com base em nossos indi­cadores de número de casos, infraestrutura de atendimento médico e disponibilidade de recursos necessários a bem atender as pessoas que apresentarem a doença, seja de forma leve ou mais grave. Sem­pre sob as orientações do Comitê Técnico de Contingenciamento Covid-19 e do Grupo de Transição e Retomada Pós Covid-19.

Na primeira oportunidade de possível retomada, a Justiça entendeu não ser o momento oportuno da medida. Na segunda foi o governo esta­dual, com visão sobre todo o Estado, quem decidiu manter o período de distanciamento social com o objetivo de reduzir o contágio e o controlar o aumento de casos. Respeitamos as determinações, mas mantivemos nossos estudos para chegarmos ao momento de transição e retoma­da com uma boa visão da situação, regras bem definidas e protocolos rígidos a serem seguidos, na busca de se preservar a saúde e a vida das pessoas, que devem ser priorizadas em quaisquer circunstâncias.

Com o anúncio, pelo governo de São Paulo, das regras de reto­mada das atividades em cinco fases, a região de Ribeirão Preto se enquadra na fase 2 e pode fazer adequações para o reinício de uma parte não considerada essencial dos setores econômicos. Com situa­ção de contágio controlada e boa estrutura de atendimento de saúde, a cidade reúne condições de avançar para as outras fases estabele­cidas no Plano São Paulo, com a ampliação de estabelecimentos em funcionamento, dentro dos protocolos estabelecidos.

Trabalhamos para manter as condições favoráveis à ampliação da retomada econômica, com foco na manutenção de emprego e renda. Manteremos a vigilância sobre os indicadores de contágio, de confirmação de casos, de mortes e na estrutura de atendimento e número de leitos de UTI e Enfermaria disponíveis. Como já temos feito desde o início da pandemia, informaremos de forma trans­parente a situação da doença e seguiremos com a comunicação de práticas que reduzam evitem o crescimento de registros positivos, como o distanciamento social e a utilização obrigatória de máscaras de proteção. Assim como a orientação sobre as medidas de higiene recomendadas por autoridades médicas e sanitárias.

As disponibilidades de recursos de Ribeirão Preto para o enfren­tamento da covid-19, felizmente, é uma realidade. Temos boas con­dições para atender aos pacientes necessitados e controlar a doença. Nesta quarentena consciente, continuaremos a nos orientar por informações técnicas de qualidade e pelo diálogo com a sociedade e, assim, decidir e definir medidas que possam nos levar ao estabeleci­mento da normalidade possível de forma rápida e segura.

Seguiremos com a prudência que a situação exige e a segurança a que as pessoas têm direito. Com protocolos rígidos, acompanha­remos a evolução dos quadros. Temos certeza de que a colaboração que ocorreu até agora se manterá, porque o desejo de retomada das atividades econômicas não pertence ao governo ou a qualquer gestor público ou privado. Esse é um anseio de empresários e trabalhado­res, por uma série de razões que todos conhecem muito bem.

Vamos evoluir para a ampliação das atividades com responsabi­lidade e senso de que é possível vencer a pandemia. A administração municipal fará o que lhe cabe para garantir que os casos confirma­dos tenham a devida assistência médica e hospitalar, se necessário. Ao mesmo tempo que contará com a fundamental participação de todos neste momento de transição.