Campeã da São Silvestre em 1996 e representante bra­sileira nos Jogos Olímpicos de Atlanta no mesmo ano, Roseli Aparecida Machado, de 52 anos, morreu nesta quinta-feira, em Curitiba, vítima das decorrências da covid-19. A morte da ex-atle­ta, que estava intubada havia duas semanas em um hospi­tal na capital paranaense, foi confirmada pela Confedera­ção Brasileira de Atletismo (CBAt) em uma nota.

“A Roseli teve uma histó­ria no atletismo brasileiro, venceu a São Silvestre, in­tegrou a seleção brasileira, treinou nos Estados Unidos. Nós tínhamos uma grande amizade, fomos atletas pelo mesmo clube, treinamos juntos quando eu era juve­nil, defendemos Londrina no começo das nossas car­reiras. Estou muito sentido, vem as lembranças. Treina­mos juntos na pista de Lon­drina quando era de saibro ainda”, disse Wlamir Motta Campos, presidente eleito da entidade.

Nascida em Coronel Macedo, no interior pau­lista, Roseli passou a in­fância em Santana do Ita­raré, no Paraná. Ela foi a segunda brasileira a con­quistar o título da São Sil­vestre, repetindo Carmen Oliveira, campeã em 1995. Na Olimpíada de Atlanta, Roseli disputou os 5 mil metros e terminou em 22º lugar.

Formada em Educação Fí­sica, especializada em Fisio­logia do Exercício, trabalhou a partir de 2002 como treina­dora de atletismo. Chegou a concorrer a vereadora em Al­mirante Tamandaré, no Para­ná, e, segundo Campos, pre­sidente da CBAt, trabalhava nos últimos anos no ramo da construção civil.