RP promove ‘Dia D’ de vacinação

0
16
MARCELO CAMARGO/AG.BR.

A Secretaria Municipal da Saúde vai participar neste sá­bado, 15 de fevereiro, do “Dia D” Mobilização Nacional de combate ao Sarampo, parte da primeira etapa da Campanha de Vacinação, com aplicação da tríplice viral – que protege con­tra a doença, caxumba e rubéo­la SCR. O objetivo é atualizar a situação vacinal do público for­mado por pessoas de cinco a 19 anos de idade.

Estarão abertas hoje 13 salas de vacinação, das oito às 17 ho­ras. A meta da Secretaria Muni­cipal da Saúde é imunizar 95% dos públicos-alvo. O secretário Sandro Scarpelini alerta a po­pulação para procurar as salas de vacina. “As pessoas entram e saem da cidade e a maior preo­cupação que devemos ter é levar as crianças e jovens para serem vacinadas”, diz.

“Precisamos conscientizar, insistir aos pais que levem seus filhos para se imunizarem e atu­alizarem suas carteiras de vaci­nação para mantermos a boa co­bertura vacinal que temos e não corrermos risco”, orienta Sandro Scarpelini. Ribeirão Preto pos­sui, atualmente, 36 salas de vaci­nas que permanecem abertas de segunda a sexta-feira.

As salas possuem horários variados de atendimento, de acordo com os horários de funcionamento de cada unida­de de saúde. A cidade fechou o ano passado com 79 casos confirmados de sarampo. Atu­almente, três estão sob inves­tigação – em 2019 foram des­cartados 172 de 252, outros 79 foram descartados e um ainda está sendo investigado.

Os casos confirmados ocor­reram em junho (uma), julho (12), agosto (37), setembro (24), outubro (três), novembro (uma) e dezembro (uma). Os dados abrangem o período de 1º de janeiro até esta sexta-feira, 14 de fevereiro, segundo o Boletim Epidemiológico. Em todas as situações a pasta promoveu blo­queios vacinais.

O Departamento de Vigi­lância em Saúde, ligado à SMS, recomenda às pessoas que pro­curem algum dos 36 postos com salas de vacinação, caso ainda não tenham feito a imunização contra a doença. Em 2018, Ri­beirão Preto registrou um caso não autóctone (importado) no mês de abril, depois de dez anos sem nenhuma ocorrência.

O Ministério da Saúde es­tipulou como meta erradicar o sarampo até julho deste ano. A declaração do secretário de Vi­gilância em Saúde (SVS) do mi­nistério, Wanderson de Oliveira, ocorreu nesta sexta-feira), após a morte de uma criança de 9 anos no Rio de Janeiro. “Nossa meta é eliminar com o sarampo até 1º de julho de 2020. Para isso temos que ter adesão da popu­lação e dos gestores estaduais e municipais”.

O secretário-executivo da pasta, João Gabbardo, lamentou a morte da criança e acrescentou que a fatalidade serve de alerta para os pais e responsáveis va­cinarem as crianças. “A morte dessa criança, tragicamente, é o maior alerta que a gente pode fazer para que os pais levem as crianças aos postos de saú­de do Brasil inteiro para fazer a vacina”. Segundo dados do ministério, o Brasil tem, atu­almente 337 casos de sarampo registrados e confirmados.

Foi feita uma campanha de mobilização contra o sarampo no ano passado, mas Wander­son de Oliveira lamentou a baixa adesão entre os adultos. “O mo­vimento foi preparado para eli­minarmos o sarampo do territó­rio nacional. Então, começamos numa primeira fase com crian­ças menores de 5 anos. Depois, numa segunda fase, de 20 a 29 anos. Nessa fase, a vacinação foi muito baixa. Distribuímos 9 mi­lhões de doses de vacina e fize­mos pouco mais de 1,8 milhão”.

Entenda o sarampo
O sarampo é uma doen­ça grave e que pode levar à morte, mas pode ser evitada pela vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, ru­béola e caxumba. Ela integra o Programa Nacional de Imu­nizações (PNI) e é aplicada aos doze meses, com reforço aos 15 meses com a tetraviral (sa­rampo, rubéola, caxumba e va­ricela). Quem já teve sarampo não precisa se vacinar, pois já possui os anticorpos para que a doença seja evitada.