DIVULGAÇÃO

A prefeitura de Ribeirão Preto estuda a possibilidade de barrar a entrada de aproxima­damente 1,5 mil estudantes da região de Araraquara neste final de semana. Este contingente virá à cidade para fazer as provas da segunda fase do vestibular da Universidade Estadual Paulista (Unesp) “Júlio de Mesquita Fi­lho”, previsto para este domingo, 28 de fevereiro.

A transferência dos vesti­bulandos foi anunciada pela Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista (Vunesp), responsável pela re­alização das provas, por causa da situação da pandemia de coronavírus em Araraquara, que provocou colapso no siste­ma de saúde.

A medida também seria para evitar aglomerações e o ris­co de aumento da transmissão da nova variante manauara do coronavírus, que fez o número de casos da doença aumentar muito na cidade. A prefeitura de Araraquara decidiu na tarde desta terça-feira, 23 de fevereiro, prorrogar o lockdown contra a covid-19 – iniciado no último domingo (21) – até as seis horas do próximo sábado (27).

Dessa forma, permanece ati­vo o isolamento total na cidade, com a proibição da circulação de pessoas e veículos em vias públicas. Doze amostras da cepa brasileira da covid-19, inicial­mente identificada em Manaus, já foram constatadas no municí­pio paulista. Segundo a Vunesp os 1.582 candidatos que iriam prestar a segunda fase da Unesp em Araraquara terão de vir a Ri­beirão Preto para fazer a prova.

Entretanto, a prefeitura ava­lia a possibilidade de impedir que estes vestibulandos entrem em Ribeirão Preto como forma de evitar possível propagação do vírus por aqui. Na segunda-feira (22), o prefeito Duarte Nogueira (PSDB) disse, em entrevista co­letiva, que o assunto está sendo avaliado juridicamente.

“Vamos verificar do ponto de vista jurídico qual é a nossa alçada, com a colaboração do Ministério Público, para que nós tenhamos uma solução que traga a maior segurança sanitá­ria possível para Ribeirão Preto, podendo ser até a não realização das provas, pelo menos nesse momento da pandemia e da for­ma como ela vem ocorrendo em Araraquara”, afirmou.

Segundo ele, existe o risco de que haja maior transferên­cia dessa variante para Ribeirão Preto, além do que já está acon­tecendo. Uma sugestão é que essa prova seja feita em algum local fora da cidade e que tenha um controle de quem está en­trando no município.

A nova variante do corona­vírus (P.1) detectada no começo do ano em Manaus (AM) já che­gou a Ribeirão Preto. O anúncio foi feito pela prefeitura, Hospi­tal das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMRP/USP) e Hemocentro.

O levantamento sequenciou o RNA de 94 pacientes para detecção da variante P.1. Deste total, 24 amostras analisadas são de moradores de Ribeirão Preto e 70 de Serrana, sendo que em doze havia sinais da nova cepa manaura. Ou seja, 12,7%. São cinco pacientes ribeirão-pre­tanos e sete serranenses, com média de idade de 36 anos e sem comorbidades.

Dois estão internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e os demais se recupe­ram em casa, segundo Calado. O infectologista explica que os doze infectados com a nova cepa não apresentaram sinais típicos de gripe, mas reclamaram de dor no peito e febre.

Dentre as amostras com a nova variante, apenas duas são importadas. Ou seja, foram constatadas em pessoas que via­jaram para Manaus ou vieram da capital do Amazonas para a região. A previsão é que ainda nesta semana mais 200 amostras tenham o RNA sequenciado para detectar o P.1.

Na entrevista coletiva, o pre­feito Duarte Nogueira descartou a possibilidade de decretar lo­ckdown no momento, já que os índices de mortes e internação estabilizaram. Também afirmou que a prefeitura notificou os operadores de aplicativos para que motoristas de Araraquara não venham trabalhar em Ri­beirão Preto.

Isso porque, segundo ele, no final de semana foi verifi­cado um aumento expressivo de motoristas de aplicativos da cidade da região central do Estado atuando na cidade. Sete pacientes araraquarenses estão internados em hospitais públi­cos ribeirão-pretanos.

Com medo do novo coro­navírus e de suas mutações, as cidades de Araraquara, Améri­co Brasiliense, Boa Esperança do Sul, Rincão e Santa Lúcia, todas a cerca de 90 quilômetros de Ribeirão Preto, entraram em lockdown depois da chegada da nova cepa do coronavírus.

Até o momento, foram re­gistrados 181 óbitos decorren­tes de infecções com o novo coronavírus em Araraquara. No ano passado, morreram na cidade 92 pessoas vítimas da covid-19. Nesta terça-feira, o município registrou mais 179 casos positivos da doença-19. Além desses, mais onze foram confirmados em laboratórios da rede complementar parti­cular, totalizando 190 novos casos. Desde o início da pan­demia, o município já regis­trou 13.683 pessoas infectadas.

Outro lado
A Vunesp informou que manterá a transferência dos can­didatos para Ribeirão Preto. Diz ainda que estabeleceu protoco­los de aplicação baseados nas recomendações das autoridades sanitárias. Entre elas, orienta­ções no Manual do Candidato para que ele se apresente com máscara de proteção facial com cobertura total de nariz e boca.

Deve permanecer com o equipamento durante todo o período de realização da prova, além de levar máscara reserva, em função do tempo de prova e da possibilidade de dano no material e necessidade de troca. A Vunesp explica ainda que os candidatos deverão chegar em turmas escalonadas para não haver aglomeração.

Será observado o distancia­mento mínimo de 1,5 metro entre os vetibulandos, as salas estarão com menos candidatos e haverá disponibilidade de álcool em gel para uso dos candidatos e da equipe de que trabalhará na aplicação das provas.

MS já identificou 204 casos da nova cepa
O Ministério da Saúde afirma que tem monitorado o surgimento de variantes da covid-19 no Brasil. De acordo com levantamen­to realizado pela Secretaria de Vigilância em Saúde, a partir das notificações recebidas pelas secretarias estaduais de saúde, foram registrados 204 casos de variantes do vírus Sars-CoV-2 no Brasil. Os dados vão até 20 de fevereiro.

Taquaritinga terá toque de recolher entre as 21 horas e cinco da manhã até domingo (28) como tentativa de frear o avanço do novo coronavírus na cidade. O decreto, publicado nesta manhã no Diário Oficial do Município, cita o esgotamento das vagas em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na Santa Casa.

A cidade, que está na fase vermelha do Plano São Paulo por perten­cer ao 3º Departamento Regional de Saúde (DRS-III), com sede em Araraquara, soma 2.380 casos confirmados de covid-19 e 64 mortes desde o início da pandemia.

Somente estão liberados deslocamentos para atendimento médico, compra de medicamentos em farmácias ou situações em que fique comprovada a urgência do morador em sair de casa.

No entanto, as restrições não são aplicadas às pessoas que estejam trabalhando nos setores de saúde, limpeza urbana e segurança, além de trabalhadores de indústrias, centros de distribuição e serviços na modalidade de delivery.