RP tem nova suspeita de coronavírus

0
35
ALFREDO RISK/ARQUIVO

Ribeirão Preto investiga mais um caso suspeito de coronavírus (Covid-19). No início da tarde desta sexta-feira, 28 de feverei­ro, a Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas (HC-EU) informou que acompanha uma mulher de 72 anos, que viajou recentemente à Itália e à França. Ela retornou à cidade na segun­da-feira (24) e procurou uma unidade básica de saúde.

De acordo com a nota divul­gada pela assessoria de impren­sa do Hospital das Clíncias, a paciente apresentou coriza, dor de garganta, febre, tosse seca e dificuldades para respirar. A idosa chegou a ser internada na Unidade de Emergência, mas já recebeu alta e está em casa, sob observação e em iso­lamento domiciliar.

“Segue clinicamente bem, hemodinamicamente estável, sem necessidade de suplemen­tação de oxigênio e com exames sem sinais de alarme”, informa a nota do HC. A Secretaria Mu­nicipal da Saúde diz que a pa­ciente está sendo acompanhada diariamente, bem como seus comunicantes – as pessoas que tiveram contato com a mulher. Amostras de sangue foram en­viadas para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo.

O outro caso suspeito é de um empresário que chegou ao Brasil no sábado (22), em voo direto de Milão para o Aeropor­to Internacional de Guarulhos, de onde embarcou em um avião para Ribeirão Preto. Por ser carnaval e ciente das notícias sobre o coronavírus, o homem de 42 anos ficou recluso em sua residência. Na quarta-feira (26), ele apresentou sintomas da doença, como coriza e dor de garganta, e procurou aten­dimento médico imediato em um hospital particular.

O paciente está em isola­mento domiciliar e passa bem. O hospital fez a notificação de suspeita para coronavírus à Secretaria Municipal da Saú­de. Todos os protocolos para o atendimento foram realizados. Outros cinco familiares que tiveram contato com ele após seu regresso da Itália também estão sendo monitorados.

Ele teria tido contato com poucas pessoas após sua chega­da a Ribeirão Preto por causa do período de feriado de car­naval e porque trabalha em es­critório na própria residência, e faz a maioria dos seus contatos profissionais pela internet. A Agência Nacional de Vigi­lância Sanitária (Anvisa) e as companhias aéreas em que ele voou da Itália até Guarulhos e de São Paulo até Ribeirão Preto já foram notificadas. O mesmo procedimento será adotado no caso da mulher de 72 anos.

Nestes casos, as autoridades vão atrás dos passageiros que viajaram em poltronas próximas ao da pessoa com a suspeita do Covid-19 para depois monito­rá-las. Porém, ainda é preciso aguardar o resultado do exame. Amostras dos dois pacientes foram enviadas para o Instituto Adolfo Lutz para confirmação ou não da infecção.

Mesmo que se faça o diag­nóstico em Ribeirão Preto, as­sim como ocorreu com o único caso confirmado de Covid-19 no Brasil, de um homem de 61 anos que passou por exames no Hospital Albert Einstein, é ne­cessário que o Instituto Adolfo Lutz apresente a contraprova. Esse é o protocolo do Ministério da Saúde, seguido pelas secreta­rias municipal e estadual.

O secretário municipal da Saúde, Sandro Scarpelini, res­saltou que a pasta está moni­torando os pacientes e todas as pessoas com quem tiveram con­tato e pediu calma à população. “A mídia precisa ajudar bastante a gente na divulgação para não entrarmos em histeria coleti­va, com as pessoas pensando que daqui a pouco faltará ma­terial, entre outras coisas. Já tivemos gripe ‘Sars’ há cerca de 15 anos, gripe H1N1 todos os anos e as notícias que vemos em outros países todos os dias, mas nossa realidade é diferen­te, estamos tomando todas as medidas de prevenção”, orien­tou o titular da pasta.

Scarpelini explicou, ainda, que a maioria dos casos chega como resfriado comum e que não é necessário pânico, e, sim, cuidado, observação, infor­mação correta e controle. “Se a pessoa apresentar evidências de risco, como ter regressado recentemente de países como a China e Itália e sintomas, de­vem, sim, imediatamente pro­curar uma unidade de saúde. Agora, se começarmos a isolar a cidade, não faz sentido, hoje eu não consigo vislumbrar essa si­tuação. Portanto, é preciso calma e serenidade, senão deixaremos a população ainda mais assusta­da”, orienta o secretário.

Dicas de prevenção
► Cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar ► Utilizar lenço descartável para higiene nasal ► Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca ► Não compartilhar objetos de uso pessoal ► Limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado ► Lavar as mãos por pelo menos 20 segundos com água e sabão ou antisséptico de mãos à base de álcool ► Deslocamentos não devem ser realizados enquanto a pessoa estiver doente ► Quem for viajar aos locais com circulação do vírus deve evitar contato com pessoas doentes, animais (vivos ou mortos) e a circula­ção em mercados de animais e seus produtos