30 C
Ribeirão Preto
20 de abril de 2024 | 14:49
Jornal Tribuna Ribeirão
Segundo o Ministério da Saúde, há 668 mil doses da Qdenga, vacina contra a dengue, que vencerão em 30 de abril, 523 mil em junho e 84 mil em julho (Rogério Vidmantas/Prefeitura de Dourados )  
Início » RP terá 11.267 doses de vacina contra dengue
DestaqueSaúde

RP terá 11.267 doses de vacina contra dengue

O Ministério da Saúde vai distribuir a vacina contra a dengue para mais 165 municípios brasileiros – eram 154 inicialmente, mas o número foi ampliado –, entre eles dez da região metropolitana descritos como pertencentes à área do Aquífero Guarani. Cerca de 15 mil doses serão enviadas para essas dez cidades. Ribeirão Preto receberá a maior carga de imunizantes: 11.267.

As demais irão para Cravinhos (555), Jardinópolis (792), Guatapará (147), Luís Antonio (262), Santa Rosa de Viterbo (381), Santa Rita do Passa Quatro (não informado), São Simão (251), Serrana (842) e Serra Azul (165), totalizando 14.662 doses. Não há data para agendada para o início da campanha nessas cidades.

A distribuição das vacinas seguirá as diretrizes do Programa Estadual de Imunizações, aguardando-se o repasse efetivo das doses para que a aplicação seja iniciada. O Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) será responsável por coordenar o processo, inclusive remanejando doses não utilizadas por outros municípios.

Em nota, o CVE “informa que aguarda do Ministério da Saúde (MS) a data em que as novas doses do imunizante devem ser enviadas. Após o repasse dessas doses, a aplicação do imunizante seguirá o calendário e estratégia dos próprios municípios.”

A Secretaria Municipal da Saúde confirmou que Ribeirão Preto receberá a vacina, mas os governos federal e estadual ainda não anunciaram a data de início da imunização. Quando o Ministério da Saúde passar as informações para a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, a população de Ribeirão Preto será avisada.

Até então, 521 municípios haviam sido selecionados para receber as doses e iniciar a vacinação contra a doença na rede pública em crianças e adolescentes de 10 a 14 anos. De acordo com a pasta, onze regiões de saúde foram contempladas pela ampliação.

São elas Central (ES), Betim (MG), Uberaba (MG), Uberlândia/Araguari (MG), Recife (PE), Apucarana (PR), Grande Florianópolis (SC), Aquífero Guarani (SP), Região Metropolitana de Campinas (SP), São José do Rio Preto (SP) e São Paulo.

Segundo o ministério, há 668 mil doses que vencerão em 30 de abril, 523 mil em junho e 84 mil em julho. Para evitar que esses imunizantes sejam inutilizados, a pasta determinou a redistribuição. “Não podemos deixar essas doses vencerem”, disse Éder Gatti, diretor do Departamento do Programa Nacional de Imunização (DPNI).

Dados do ministério indicam que, até o momento, 1.235.119 doses foram enviadas aos estados e municípios desde o início da vacinação contra a dengue. Dessas, 534.631 foram registradas como aplicadas, enquanto 700.488 ainda não foram registradas. De todos os 521 municípios que receberam a vacina, 13 não enviaram dados para o governo federal.

O diretor do Departamento de Emergência em Saúde Pública e do Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública para Dengue e outras Arboviroses (COE-Dengue), Márcio Garcia, detalhou o esquema de ampliação de municípios contemplados.

“A gente sabe que tem um quantitativo dessas doses que não foi aplicado. Não podemos deixar essas doses vencerem, é preciso utilizá-las. Diante disso, o Ministério da Saúde trouxe uma solução: redistribuir, dentro das unidades federadas, ou seja, dentro dos estados, para municípios que ainda não foram contemplados.”

Ainda segundo Garcia, o ministério recebeu nova remessa de doses contra a dengue – a primeira comprada, já que a anterior foi doada pelo fabricante. Ao todo, 930 mil doses serão distribuídas para os 521 municípios anteriormente selecionados e para os 154 agora contemplados com a ampliação.

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a vacina é indicada para crianças acima de 4 anos de idade, adolescentes e adultos até 60 anos de idade. A Qdenga, do laboratório japonês Takeda, é a primeira dose aprovada no Brasil para um público mais amplo, já que o imunizante aprovado anteriormente, a Dengvaxia, só pode ser utilizado por quem já teve dengue.

Ribeirão Preto já soma 9.541 ocorrências em 2024, além de 19.740 sob investigação. O mosquito Aedes aegypti – vetor da doença, do zika vírus e da febre chikungunya – já causou quatro mortes este ano na cidade, duas em janeiro (um adulto jovem e uma idosa) e duas em fevereiro (um homem e uma mulher, ambos jovens e com comorbidades).

Mais notícias