Saúde e Carnaval em sintonia

0
17

Bruna Pavão *
[email protected] 

O Carnaval é um ótimo período para interagir e movimentar o corpo, pontos positivos da comemoração. No entanto, na hora da folia, as pessoas tendem a se descuidar da saúde – a começar da alimentação. Esquecem de comer nas horas certas e pouco se importam com a qualidade e a quantidade necessária de alimentos para quem está gastando muita energia. Mas não é só isso.
A ingestão excessiva de bebidas alcóolicas é outro problema que preocupa durante a festa. Não só pelo mal que causa à saúde, mas também por impactar socialmente, já que faz crescer a violência, inclusive a doméstica, e os acidentes de trânsito. Só para se ter uma ideia, uma pesquisa do Instituto Kantar Worldpanel indica que o gasto médio domiciliar com a cerveja durante o mês de Carnaval sobe de R$ 36,18 para R$ 42,87. O faturamento da categoria chega a ser 44% maior do que o do resto do ano. Isso sem contar as outras bebidas, como os destilados.
Um efeito imediato da ingestão exagerada do álcool é a ressaca. No entanto, alguns cuidados podem ser tomados para evitar – ou pelo menos amenizar – o aparecimento desse problema: alimentar-se antes de beber e intercalar o consumo do álcool com muita água. Por pessoa, o ideal é beber de dois a três litros de água diariamente, lembrando que esse número depende de alguns fatores, como peso corporal.
Outra dica para aliviar a ressaca é evitar a ingestão de frituras, carnes vermelhas, leite e os seus derivados. Todos esses itens exigem mais esforço do organismo para a digestão. Legumes e verduras são um reforço importante, aliados aos chás, como o de Boldo (ótimo para quem está nessa condição), e muita água de coco – um isotônico natural fácil de ser encontrado durante a folia.
O que também ajuda bastante é contar com lanches rápidos e práticos de se carregar. Snacks da linha de produtos Cuida Bem, como as barras de nuts, são exemplos saudáveis que promovem a saciedade e ajudam a alimentar o corpo que está com gasto energético alto no Carnaval, que neste ano deve movimentar seis entre dez consumidores, de acordo com o levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil)  em todas as capitais brasileiras irão aproveitar o Carnaval.
Ainda segundo os dados apresentados nessa pesquisa, o gasto médio previsto é de R$ 634 por pessoa, sendo que os itens mais procurados serão cerveja, comida fora de casa, água e energéticos. Por isso, é importante ressaltar para quem for comer na rua os riscos da comida do tipo fast food: são fartas em gordura e açúcares, mas deficientes em fibras e vitaminas essenciais ao bom funcionamento do organismo e, em excesso, podem provocar mal-estar e falta de disposição.
A intoxicação alimentar também acomete muitos foliões, em especial àqueles que vão à praia, isso porque alguns dos alimentos frequentemente vendidos no local podem ter sido feitos de maneira inadequada ou armazenados incorretamente e, ainda, ficam expostos a altas temperaturas. Assim, procure evitar frutos do mar, maionese e molhos. Estão liberados, no entanto, os carboidratos integrais, que dão energia para curtir os dias de folia. Porém, lembre-se de descansar. Um bom período de sono vai ajudar a aproveitar ao máximo os dias de folia.

* Consultora nutricional da marca Cuida Bem