Taxa de ocupação de leitos é de 87,3%

0
27
GOVERNO DE SÃO PAULO

A ocupação de leitos de terapia intensiva estava em 87,3%, às 19h30 desta segun­da-feira, 27 de julho, em Ri­beirão Preto, segundo a plata­forma leitoscovid.org. Havia pessoas internadas em 165 das 189 vagas disponibilizadas pelos 13 hospitais da cidade – cinco públicos e oito privados.

Na enfermaria, a taxa era de 67,67%, com 180 das 266 vagas ocupadas. Nas unida­des Campus e de Emergência do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, ligada à Uni­versidade de São Paulo (HC­FMRP/USP), a ocupação de leitos de terapia intensiva estava em 81,7% no mesmo horário desta segunda-feira.

As duas unidades do HC têm 71 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para adultos e 58 estavam ocupa­dos. A situação era mais pre­ocupante na enfermaria, que conta com 52 leitos e tinha 52 pacientes com quadro menos grave da covid-19, ou 100% de ocupação.

Segundo nota do superin­tendente do HCFMRP/USP, o professor doutor Benedito Carlos Maciel, já foram cre­denciados 24 novos leitos e dez deles já estão em funcio­namento. “Pretendíamos ati­var nove leitos no final de se­mana, mas, no final da tarde definimos essa abertura para o dia 28. Os demais serão ati­vados no dia 3 de agosto”, diz no comunicado.

O prefeito Duarte Noguei­ra Júnior (PSDB) anunciou ontem que o HC receberá mais nove leitos de UTI nesta terça­-feira (28) e que outros 20 se­rão abertos na cidade durante a semana. “Nós já triplicamos a capacidade de atendimen­to de UTI desde o início da pandemia, no mês de março. Esta semana, o Hospital Santa Lydia passará a oferecer 40 lei­tos de enfermaria e 20 leitos de UTI para covid-19”, diz.

“O Hospital Ribeirânia abrirá mais cinco leitos e, da­qui a 30 dias, outros cinco. O Hospital das Clínicas abrirá 18 novos leitos, mas nós pre­cisamos da colaboração da população, porque não há va­cina, não há remédio, a única forma de conter essa doença é o distanciamento social”, expli­cou o prefeito Duarte Noguei­ra durante sua live diária nas redes sociais.

Polêmica
Um documento gerou po­lêmica em Ribeirão Preto. O diretor do Núcleo Interno de Regulação (NIR) da Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas de Ribeirão Pre­to, Sergio Innocente, afirmou em ofício datado de sexta-fei­ra (24) que o hospital estava superlotado e não teria mais vagas disponíveis, seja para pa­cientes com coronavírus ou de outras especialidades. O HC das Clínicas negou a superlo­tação e afirmou, também em nota, que documentos como esse fazem parte da rotina da Unidade de Emergência.

Fiscalização
As medidas de fiscaliza­ção adotadas pela prefeitura continuam intensificadas. Do dia 8 até domingo, 26 de julho, ação conjunta da Guarda Civil Metropolitana (GCM), Fiscalização Geral, Vigilância Sanitária e Polí­cia Militar vistoriou 779 es­tabelecimentos. Foram con­tabilizadas 332 notificações de paralisação, 18 autua­ções de estabelecimentos e 258 abordagens a pessoas sem máscaras.

Comentários