Transerp altera rota de linhas

0
68

A partir deste sábado, 20 de janeiro, 17 das 39 linhas que pas­sam pelo ponto de ônibus em frente à Catedral Metropolitana de São Sebastião, na rua Florêncio de Abreu, na Praça das Bandeiras, se­rão transferidas para a Prudente de Morais – dois quarteirões acima. Os pontos na rua Lafaiete, próxi­mo ao Palácio Episcopal, também serão deslocados.

A mudança vai afetar 29,3% das linhas da região – são 58 em todo o entorno. As 17 linhas de ônibus afetadas circularão pela rua Cerqueira César até a Pru­dente de Morais, onde realizarão a conversão à direita, trafegando até a José Bonifácio, acessando o terminal de ônibus – Plataforma I (anexo ao terminal principal Doutora Evangelina de Carva­lho Passig).

Serão instalados dois pontos de ônibus na rua Prudente de Morais, um antes da rua Barão do Amazo­nas e outro entre as ruas Álvares Cabral e Amador Bueno, próximo à Secretaria Municipal de Saúde, que muito facilitará o atendimen­tos aos cidadãos. Já a rua Lafaiete, atrás da Catedral Metropolirtana, também receberá reformulações nos seus pontos de parada.

Atualmente, na rua Lafaiete estão regulamentados dois pontos de ônibus que atendem conjunta­mente oito linhas. Com a mudan­ça, o ponto da rua em frente à Casa Episcopal será desativado e das oito linhas, três serão remanejadas para o ponto junto à rua Visconde de Inhaúma e cinco para o ponto junto à rua Barão do Amazonas.

A mudança atende à reivin­dicação da Igreja Católica, que há anos tenta impedir a construção de uma plataforma no lugar do ponto de ônibus que existe no lo­cal, alegando que o tráfego pesado causa rachaduras no templo, tom­bado como patrimônio histórico.

A Empresa de Trânsito e Transporte Urbano de Ribeirão Preto (Transerp) promoveu uma campanha de orientação nas imediações, com distribuição de panfletos aos passageiros. A prefeitura teve acesso a alguns laudos do padre Francisco Za­nardo Moussa, o “Padre Chico”, da Catedral Metropolitana.

Os documentos apontam que desde o começo do ano algumas fissuras aumentaram. O pavi­mento da rua Florêncio de Abreu, entre as ruas Tibiriçá e Visconde de Inhaúma, também será substi­tuído por outro – a obra já estava prevista em um Termo de Ajusta­mento de Conduta (TAC) assina­do entre Transerp, prefeitura e Mi­nistério Público Estadual (MPE).

As datas de início e término do projeto, assim como o valor da obra, ainda não foram divulgados pela administração. Em agosto do ano passado, o então secretário de Obras Públicas, Abranche Fuad Abdo, disse que o custo total serial de R$ 5 milhões. De acordo com o prefeito Duarte Nogueira Júnior (PSDB), aproximadamente 1,5 mil ônibus passam por dia na por­ta da Catedral Metropolitana.

O reforço da fundação da Igre­ja Matriz está estimado em R$ 1,6 milhão. Com o apoio da prefeitu­ra, o padre vai buscar recursos para viabilizar a restauração. Segundo a Transerp, a alteração também tem como objetivo garantir segurança e melhorar a fluidez do trânsito na região Central, pois ali ocorre uma sucessão de conflitos entre ônibus, veículos e motociclistas no trajeto atual. Além disso, a mudança irá contribuir na diminuição das vi­brações do pavimento defronte à Catedral Metropolitana.

Plataformas – O Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) aprovou as altera­ções sugeridas pela prefeitura de Ribeirão Preto nas duas estações de embarque e desembarque da rua Américo Brasiliense e na da rua Visconde de Inhaúma, no en­torno da Praça das Bandeiras, na região central da cidade. A reforma será feita pelo Consórcio PróUrba­no, que ainda ano foi notificado. A administração aguarda o relatório final do Condephat com a descri­ção das alterações solicitadas para comunicar o grupo.