Vacinação deve ser prorrogada

0
23
2.2 W/Agencia Brasil

A Campanha de Vacina­ção de Poliomielite e Multi­vacinação em Ribeirão Preto, que terminaria nesta quin­ta-feira, 29 de outubro, por causa do ponto facultativo do Dia do Servidor Público – foi transferido de quarta (28) para esta sexta-feira (30) –, foi prorrogada até 13 de novembro em todo o Es­tado, mas a Secretaria Muni­cipal da Saúde não havia sido notificada até o final da tarde de ontem.

Porém, por causa da baixa adesão, a cidade deve atender à determinação da Secretaria de Estado da Saúde. A pror­rogação foi anunciada ontem. Em Ribeirão Preto, a meta é atingir 95% do público-alvo. Segundo balanço da Divisão de Vigilância Epidemiológica do município, até quarta-fei­ra, 28 de outubro, foram apli­cadas 15.229 doses, 9,5% das 160.685 previstas – 95% de 169.142.

Deste total, 9.581 crian­ças receberam a “gotinha” (vacina oral, VOP) contra a poliomielite, cobertura de 31,6%. O objetivo é imunizar 95% das 33.758 crianças de um ano a menores de cinco anos. Também procuraram alguma das 36 salas de vacina 9.866 crianças e adolescentes de 5 a 14 anos da campanha de multivacinação, sendo que 5.648 foram imunizadas por, 4,4% do público-alvo.

As outras 4.218 estão com a imunização em dia. A meta da secretaria é atingir 95% deste grupo. O público-alvo é formado por 135.384 jovens que precisam atualizar as carteiras de vacinação. Caso a campanha seja prorrogada em Ribeirão Preto, a orien­tação é para que pais e res­ponsáveis procurem, a partir de terça-feira (3), um dos 36 postos com salas de vacinas.

As unidades permanecem abertas de segunda a sexta-fei­ra, em horários variados. Atin­gir a meta de 95% é importante para alcançar a chamada imu­nidade de rebanho, reduzindo os riscos de infecção. A prorro­gação do prazo tem o objetivo de aumentar a cobertura vaci­nal contra cerca de 20 doenças.

A poliomielite, chama­da de paralisia infantil, não registra mais casos no país graças à vacina. Em agos­to, a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou que apenas dois países no mundo ainda registravam casos da doença, Paquistão e Afeganistão. Mas o risco da doença voltar ao país ainda existe. A Secretaria de Estado da Saúde também está con­vocando pais e responsáveis para levarem os menores aos postos de vacinação.

No Estado de São Paulo, a cobertura vacinal contra a “pólio” chegou a apenas 39,6%”. Ainda é preciso va­cinar mais de 1,3 milhão de crianças de um a menores de 5 anos contra a doença. Até o final da campanha, a pasta pretende vacinar 95% das 2,2 milhões de crianças paulistas contra a poliomielite. Hoje, os municípios imunizaram apenas 876,7 mil crianças do público alvo da campanha.

Até o último dia 22 de ou­tubro, aproximadamente 427,3 mil crianças e adolescentes de 5 a 14 anos comparecerem nos pontos para atualização da car­teira vacinal, destes 188,2 mil tiveram vacinas aplicadas, representando 44,1%. O índi­ce de comparecimento nesta faixa etária está em 6,8%. Na faixa de crianças menores de um ano, 198,1 mil estive­ram nesses serviços (cerca de 32,4% do público-alvo), com vacina aplicada em 129,3 mil (65,3% no total).

“Pedimos que os pais e responsáveis aproveitem essa prorrogação para levar as crianças aos postos. É de ex­trema importância aumentar a cobertura vacinal contra a poliomielite, além de atuali­zar a carteira de vacinação de nossas crianças, contribuindo para eliminarmos os riscos da circulação dessas doenças no Estado de São Paulo”, afirma o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn.

Tipos de vacinas
No total, são oferecidas 14 tipos de vacinas que protegem contra cerca de 20 doenças. Tem a BCG (tuberculose), ro­tavírus (diarreia), poliomelite oral e intramuscular (paralisia infantil), pentavalente (difte­ria, tétano, coqueluche, hepa­tite B, Haemophilus influenza tipo b – Hib), pneumocócica, meningocócica, DTP, trípli­ce viral (sarampo, caxumba e rubéola) e HPV (previne o câncer de colo de útero e verrugas genitais), além das vacinas contra febre amarela, varicela e hepatite A.

Além disso, neste ano, tam­bém passou a integrar o Siste­ma Único de Saúde (US) uma nova vacina, já inserida na campanha: Meningo ACWY, que protege contra meningite e infecções generalizadas, cau­sadas pela bactéria meningo­coco dos tipos A, C, W e Y. Somando todos os tipos de vacinas, são mais de 5,2 mi­lhões distribuídas nos postos do estado para aplicação na população-alvo.

Comentários