Venda da Turb na mira do Legislativo

0
260
ALFREDO RISK

A Câmara de Vereadores está em recesso, mas os par­lamentares da atual legisla­tura (2021-2024) estiveram por duas vezes em sessão: a de posse e eleição da Mesa Diretora e uma extraordi­nária, quando foi aprovado o projeto do prefeito Duarte Nogueira (PSDB) que extin­guiu os cargos de cozinheiros na rede municipal de ensino.

No próximo dia 2 de feve­reiro, primeira terça-feira do mês, os vereadores se reúnem na primeira sessão ordinária em que serão definidas as 15 comissões permanentes da Casa. Além dessa eleição, um assunto deve provocar dis­cussão entre os edis: a convo­cação do superintendente da Empresa de Trânsito e Trans­porte Urbano de Ribeirão Preto S/A (Transerp), Marce­lo Santos Galli.

O requerimento foi proto­colado na quinta-feira, 21 de janeiro, pelo vereador Sérgio Zerbinato (PSB). Segundo o parlamentar, o motivo é a falta de informações sobre a venda da Turb – Transporte Urbano S/A para a Sertran e Rápido D’Oeste. A empresa é uma das que compõem o Consórcio PróUrbano, grupo concessio­nário do transporte público da cidade desde maio de 2012.

“O transporte público é o principal meio de transporte de milhares de cidadãos ribei­rão-pretanos, por se tratar de um consórcio todas as ações precisam ser transparentes e não podem favorecer um ou outro grupo. O fato de a Tran­serp ter soltado uma nota di­zendo publicamente que ain­da não havia sido informada sobre a transação é um tanto quanto preocupante, pois ela é a responsável pela fiscalização do consórcio”, diz Zerbinato.

“Essas empresas não po­dem agir unilateralmente, por se tratar de um serviço público que afeta a vida de grande par­te da população. É preciso que seja claro a forma como se deu a compra e se cumpre as regras do consórcio”, emenda o vere­ador. O requerimento de con­vocação deverá ser votado na segunda sessão ordinária, ou seja, em 4 de fevereiro. Para a convocação acontecer é preci­so aprovação por maioria sim­ples, ou seja, doze votos.

“Tenho conversado com alguns vereadores e articulado a aprovação do requerimento, principalmente por se tratar de um tema de relevância, que afeta milhares de pessoas. Es­tamos confiantes na aprovação justamente por isso, é função do vereador fiscalizar as ações do executivo e autarquias”, fi­naliza Zerbinato.

Além do requerimento de Zerbinato, Lincoln Fernandes (PDT) enviou ofício ao supe­rintendente da Transerp, Mar­celo Galli, pedindo explica­ções sobre a venda da Turb. A venda da viação foi informada pelo Sindicato dos Emprega­dos do Transporte Urbano de Ribeirão Preto (Seeturp) pelo Facebook.

De acordo com a entidade sindical, a empresa encerrará suas atividades em Ribeirão Preto em 1º de fevereiro ou 1º de março, aguardando apenas o final das negociações envol­vendo os empregados para deixar de operar o serviço de transporte público na cidade.

A Turb foi fundada em 1º de janeiro de 2003. De acordo com o site da empresa, possui uma frota de 106 ônibus que operam em 26 linhas convencionais, uma circular e oito alimenta­doras. Uma média mensal de 780 mil passageiros pagantes e mais 520 mil passageiros gra­tuitos, perfazendo um total de um milhão e 300 mil.

Tem uma garagem com 14 mil metros quadrados, sendo 2.500 de área construída. São 267 colaboradores ativos. Na ocasião da informação, a Tran­serp disse que não havia sido comunicada oficialmente sobre a referida negociação. “Aos ami­gos, colegas e companheiros de trabalho da Turb. A empresa foi vendida (20% para Sertran e 10% para Rápido D’Oeste)”, diz um trecho da nota do Se­eturp assinada pelo presidente João Henrique Bueno.

O Consórcio PróUrba­no, grupo concessionário do transporte coletivo urbano – é formado pelas viações Rápi­do D`Oeste (40%), Transcorp (30%) e Turb (30%). Opera 118 linhas com 356 veículos na cidade. Desde maio de 2012 é o grupo concessionário do transporte em Ribeirão Preto.