Jornal Tribuna Ribeirão

Vendas do varejo avançam em junho

ALFREDO RISK/ARQUIVO

Após um “tombo” de 15,75% em maio, as vendas do varejo ribeirão-pretano ti­veram recuperação média de 4,83% em junho, na compa­ração com o mesmo período do ano passado. Em relação ao mês anterior, o crescimento foi de 2,83%. O levantamento é do Centro de Pesquisas do Varejo (CPV), mantido pelo Sindicato do Comércio Vare­jista de Ribeirão Preto e Região (Sincovarp) e pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-RP).

“Um dos fatores que in­fluenciaram nesse cenário foi a maior flexibilização das nor­mas restritivas do Plano São Paulo, decorrentes do progres­so da vacinação e, consequen­te, a diminuição do número de casos de Covid19. Aos poucos os consumidores estão voltan­do às compras”, analisa Diego Galli Alberto, pesquisador e coordenador do CPV.

Emprego
Em junho de 2021 a ten­dência de estabilização do nível de emprego no Comér­cio, detectada pela pesquisa de maio, se confirmou total­mente. “É o primeiro passo para a reversão da curva de emprego que agora apresen­ta tendência positiva para os próximos meses, ainda mais no final do ano com a contra­tação dos trabalhadores tem­porários”, explica.

Os dados do Cadastro Ge­ral de Empregados e Desem­pregados (Caged) de junho se­rão divulgados pela Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia no final de julho. De acordo com a pasta, a econo­mia de Ribeirão Preto fechou maio com saldo de 1.720 novas de emprego com carteira assi­nada (fruto de 8.869 admissões e 7.140 demissões), o 11º supe­rávit seguido desde julho do ano passado.

O comércio fechou maio com saldo positivo de 443 postos de trabalho (2.235 con­tratações e 1.792 rescisões). No quinquemestre, contratou 10.828 e demitiu 10.456, supe­rávit de 372. Nos últimos doze meses, o superávit é de 3.042 vagas, fruto de 25.999 admis­sões e 22.957 demissões.

O setor de serviços regis­trou 5.098 contratações e 4.047 rescisões, superávit de 1.051 empregos formais. No quin­quemestre, contratou 24.978 e demitiu 21.981, saldo posi­tivo de 2.997. Em doze meses, foram 54.565 contratações e 48.057 rescisões, superávit de 6.508 empregos formais.

Otimismo de volta
O CPV também perguntou aos lojistas qual seria a pers­pectiva de vendas para julho de 2021, levando em conta o cená­rio atual. A pesquisa projeta um aumento médio de 7,33% nas vendas deste mês. Medido desde dezembro de 2020, pelo CPV, o Índice de Confiança do Varejo (ICV) também revela uma reto­mada do otimismo em relação ao segundo semestre de 2021.

Em uma escala de 1 a 5, em que 1 significa “muito pessimis­ta” e 5 “muito otimista”, o índice ficou em 3,5. “Em maio, o ICV constatou que quase metade dos lojistas estava pessimista, o viés era de baixa. Agora, o nível de confiança subiu um pouco com a perspectiva de fim de ano aquecido por uma grande demanda reprimida existente”, afirma o pesquisador.

E-commerce
A pesquisa também inves­tigou as vendas online, em ju­nho. Foi apurado que 33% dos lojistas não realizam vendas pela internet no período; 40% usaram pouco os canais onli­ne; 20% usaram razoavelmen­te; e apenas 7% concentraram a maior parte de suas vendas no E-commerce.

Deixe o seu comentário:

Mais notícias

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com